Through the Looking-Glass, and What Alice Found There de Lewis Carrol

Acabei de ler o segundo e derradeiro capitulo das aventuras da Alice. Eu gostei bastante do primeiro livro, é uma excelente aventura num mundo completamente louco e surreal povoado por fantásticas personagens. A Alice é uma heroína muito fácil de se gostar, é inocente mas ao mesmo tempo reguila, respondona e independente. A progressão narrativa era feita através de encontros sucessivos com novas e estranhas personagens, culminando na reunião de quase todos eles no julgamento final da Alice. O livro tinha um humor muito próprio baseado em jogos de palavras e em confusões gramaticais muito clássicas.

Este segundo livro segue exactamente os mesmos parâmetros do Alice no País das Maravilhas, de tal forma que se torna difícil não sentir um constante deja-vu em relação às suas novas aventuras. Ao contrário do que esperava, Through the Looking-Glass não se passa em Wonderland, nem aparece nenhuma das personagens da primeira aventura (embora Hatta e Haigha sejam o Chapeleiro e a Lebre, mas a Alice não os reconhece, se calhar são diferentes personagens… dont know). Esta é uma nova realidade chamada precisamente Looking Glass, povoado por personagens inteiramente novas. Claro que é correcto afirmar que ambos os mundos acabam por ser um único visto serem ambos criações da mente da Alice.

Acabei por não gostar tanto deste 2º livro porque me pareceu demasiado semelhante ao original, embora utilize temáticas completamente distintas (xadrez ao invés das cartas) e usa um progressão narrativa diferente muito à base de saltos espaciais e temporais, no entanto continua a ser basicamente composta por encontros sucessivos com diferentes personagens.  Por vezes quase parece uma reinterpretação do primeiro livro, o que é pena. De forma geral os personagens são menos interessantes e icónicos que os de Wonderland, embora o Humpty Dumpty tenha sido muito bom, acho que foi a melhor parte do livro.

Não desgostei, se não tivesse lido o primeiro livro se calhar ia gostar muito mais deste Through the Looking-Glass, assim acabou por ser apenas um complemento ao que li no Alice no País das Maravilhas.

Ah, eu li em inglês, lê-se bem, mas algumas partes como o poema do Jabberwocky tornou-se completamente incompreensível, mas também acho que acaba por ser um pouco esse o objectivo, já que a própria Alice também não o entende.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: