Tomb Raider: Legend [2006]

Aqui está mais um Tomb Raider! Relembro que estou a jogar a trilogia da Crystal Dynamics, comecei com o Anniversary e irei terminar no Underworld. E eu tinha avisado que ia ser rápido, é que este Legend é insultuosamente curto e fácil.

Depois dum longo período de estagnação fruto da obrigatoriedade da Core Design em lançar um jogo por ano, a série Tomb Raider chegou a um ponto crucial na sua história. Ou o próximo jogo era um sucesso ou a sobrevivência da série poderia estar em risco.  Após um período de gestação de 3 anos, a Core lançou Angel of Darkness, um jogo ambicioso que tentou fazer coisas novas, mas que infelizmente foi um tremendo fracasso. O resultado foi a gota final na descredibilização da série na industria e o inevitável fim da Core Design.

Era um período negro para a arqueóloga mais famosa do mundo. A Eidos não querendo perder a sua galinha dos ovos de ouros colocou a franchise nas mão da responsável pela brilhante série Legacy of Kain, a Crystal Dynamics, com a missão de ressuscitar Lara. O resultado saiu 3 anos após Angel of Darkness e chamou-se Tomb Raider: Legend.


Eu tenho uma relação estranha com o Legend. Odiei-o com todas as forças quando saiu por uma série de razões. Era (e sou) fã da Core, mesmo com todos os seus erros, foi chato ver pessoal novo (e americano) a pegar no jogo e acima de tudo foi uma quebra tão grande em relação ao passado que na altura não consegui digerir uma mudança tão drástica. No entanto tenho vindo a aceita-lo com o passar dos anos, conseguindo ver alguns dos pontos positivos e aceitando as suas (muitas) falhas.

Mas deixem-me ser claro, continuo a achar Legend um mau Tomb Raider, no entanto a sua sorte é que é ao mesmo tempo um bom jogo de acção/aventura. Pode parecer contraditório, mas é assim que o vejo. A verdade é que (pelo menos desta vez) diverti-me a joga-lo, tem um bom ritmo, uma história interessante e o tempo passa a voar, há muitos jogos que dariam tudo para ser assim.

Vou deixar de parte muitos aspectos que já falei na critica ao Anniversary, como os controlos, combate, jogabilidade, motor de jogo e afins, porque pouco ou nada mudou entre os dois jogos. Irei-me focar nas diferenças mais gritantes. Uma das principais é a escala. Tudo em Legend assemelha-se mais a uma tech demo, é quase uma montra para mostrar o que a Crystal Dynamics queria fazer com a série. Os níveis são muito curtos e simples, os puzzles estão quase ausentes, e os que há são extremamente acessíveis e a progressão é bastante conservadora, pouco varia da formula “acrobacia – puzzle – combate – boss”. Felizmente Anniversary (com a ajuda do jogo original) expandiu a escala do jogo (aí sim parece que estamos a assaltar túmulos à muito perdidos, em Legned assemelham-se a… níveis dum jogo…) e tornou a progressão bem menos rígida.

Curiosamente, Legend mesmo sendo um ano mais velho, tem melhores gráficos que o Anniversary, isto no PC. A opção “next gen” que estava ausente na sequela  felizmente está incluído na versão PC de Legend. E a diferença é enorme! A primeira vez que o joguei foi com a opção desligada (não tinha um PC decente na altura) no entanto agora ao liga-la fiquei bastante surpreendido, os gráficos são decentes para um jogo de 2006, pena que o Anniversary não tenha o mesmo nível de detalhe, em especial na luminosidade e no jogo de sombras. O reverso da medalha é que com o “next gen” ligado o jogo “crasha” em alguns momentos nos 3 níveis finais.

O jogo é extremamente acessível, por vezes até demasiado ao ponto de quase insultar o jogador. É particularmente irritante estarmos perante um puzzle acessível e darem-nos a resposta imediatamente através de diálogos. Por falar em diálogos eles variam entre o exasperante (Zip e Allister em grande destaque com as suas terríveis piadas, puns e one liners) e o decente, em especial quando sai da boca da Lara (destaque para a explosão final da Lara, ela sempre se manteve reservada durante o jogo, mas aí… saiam da frente! Keeley Hawes de novo em grande).

A história não é nada de muito extraordinário, e a busca pela mãe por vezes torna-se cheesy, mas acaba por ser curiosa e empolgante q.b. e só o facto de ser tão importante num Tomb Raider é de se lhe tirar o chapéu. E terminou com um mindfuck temporal que poderia ter sido melhor explorado no Underworld, mas dentro do Legend funcionou bastante bem. Os dois vilões são muito banais, mas vendo bem à excepção da Natla a série nunca teve antagonistas à altura. Não achei que a qualidade da escrita ajudasse muito, neste aspecto fica a milhas do Underworld que é bastante satisfatório neste aspecto.

Ao contrário das duas sequelas, Legend foca-se muito no combate, o que é pena porque tal como no Anniversary ele é bastante tosco, no entanto temos à disposição um muito maior arsenal e rapidamente acabei por entender e controlar as manhas do sistema de combate. É particularmente eficaz o salto em bullet time que Lara faz sobre os seus inimigos.

Como disse no inicio do texto, Legend é um bom jogo de acção/aventura, mas fica muito aquém do que um Tomb Raider deve aspirar a ser, e é mais que óbvio que a Crystal Dynamics reconheceu isso porque nos dois jogos seguintes melhorou em quase todos os aspectos trazendo um maior balanço entre o legado de mais de uma década e o espírito renovado do novo milénio. Entendo que quiseram cortar pela raiz o passado que afinal de contas quase tinha arruinado a franchise, e de facto em quase todos os aspectos Legend virou costas a tudo o que se tinha construído até então, um pouco como o que Casino Royale fez nesse mesmo ano. Eu sou sempre a favor de inovação e se uma série se quiser manter fresca e dinâmica tem de se saber reinventar, mas seria necessário cortar de forma tão radical? Acho que ninguém esperava uma divisão tão grande dentro do publico que habitualmente financiava a série e os jogos seguintes foram uma clara prova de que a Crystal e a Eidos tentaram balancear as coisas, e a meu ver com algum sucesso.

De seguida jogarei o Underworld, no entanto a critica deverá demorar, já que ele é (felizmente) maior, terei menos tempo livre e jogarei ao mesmo tempo o Prince of Persia 2008 que planeio acabar antes da estreia do filme.

Positivo:
+ A existencia duma história num Tomb Raider
+ A nova Lara mais humanizada

Negativo:
– 5 horas de jogo é insultuosamente curto para um Tomb Raider
– Reduzido nível de dificudade
– Demasiado superficial
– Alguém que cale Zip e Allister

 

Sai do templ… do PixelHunt com:


Comments
2 Responses to “Tomb Raider: Legend [2006]”
  1. lucas gustavo diz:

    Eu acho que o legend e o melhor jogo da serie mas o 1,2 e 3 sao muito bons e quem tiver o 1 ou saber onde baixa para xp me ajude

  2. haila diz:

    mais dicas pois eu adoro jogar este jogo ..a tradusa tambem …..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: