Eversion [2010]

Pois bem, andava eu a passear pelo Steam quando vi o lançamento dum jogo novo chamado Eversion. Até aqui tudo bem, fui ver umas imagens e reparei que era um jogo de plataformas retro 2D, “deve ser mais um indie artsy game” pensei eu. Fui pesquisar e qual o meu espanto, o jogo é originalmente de 2009 e está disponível de borla no site dos developers, a única diferença da versão do Steam é o facto de ser em HD e os achievements. Pois bem lá fiz o download.

Isto vai ser complicado, se falar muito aprofundadamente sobre Eversion vou quebrar o efeito surpresa, que é o seu ponto forte. Começo por dizer que este é um jogo que ilude e engana o jogador, inicialmente mostra-se como um simples jogo de plataformas, colorido, animado onde o level design copiado do 1º nível do Super Mario Bros. transmite um sentimento de segurança e previsibilidade.

No entanto a meio do nível o nosso boneco passa por uma zona onde se dá um fenómeno estranho. As tonalidades nessa zona são um pouquinho mais escuras e ouve-se muito ao de leve uma musica distinta. Esse é o momento chave de Eversion, é a altura em que deixa de ser um clone de Mario para se transformar em algo único, diferente e pessoal. Carreguem na tecla e são levados para uma realidade paralela, com tonalidades menos coloridas e uma musica menos alegre. Estas diferentes realidades servem apenas como formas de ultrapassar puzzles, puzzles esses que são basicamente o coleccionar de todas as moedas, sendo que algumas delas só podem ser apanhadas em certas realidades.

Mas se inicialmente essas realidades são apenas veículos de progressão, desde logo acabam por se tornar parte integrante do próprio mundo de jogo, a cada realidade que entramos o mundo vai-se tornando mais negro, perigoso e ameaçador com muitas inspirações “Lovecraftianas”. É aqui que o jogo começa a ficar decididamente perturbador, quase como se estivesse a fazer troça de nós, e não é de admirar que aos poucos ele comece a pregar-nos partidas com mensagens como “Give Up”, “Get ready to die”, “Stop”, “Look behind”… acho melhor não desvendar muito mais até para não estragar a experiência.

Os controlos são bastante básicos e eficazes ao bom estilo Mario, no entanto alguns níveis são extremamente difíceis e frustrantes, é expectável que repitam as mesmas sequências dezenas e dezenas (centenas?) de vezes. Felizmente temos vidas infinitas o que é óptimo. Há dois finais distintos, um para quem apanhar todas as moedas e outro para quem não conseguir, ambos são extremamente creepy. Depois de o acabar fica a ideia de que é um joguinho simpático com uma boa ideia, mas que poderia ter sido mais ambicioso. Esta ideia com maiores producion values (tipo Braid) poderia ter causado um maior impacto dentro mercado indie, mas tendo em conta que é um jogo a custo zero não se pode pedir muito mais.

Se ficaram interessados vão ao site da Zaratustra Productions e façam de lá o download gratuito. se quiserem achievements e suportar os developers podem-no fazer no Steam.

Positivo:
+ Desafiante
+ Inteligente
+ Perturbador

Negativo:
– Curto
– Poderia ser mais ambicioso
– Os últimos níveis são frustrantes

 

Sai do templ… do PixelHunt com:


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: