The Secret of Monkey Island: Special Edition [2009]

A edição especial do segundo capitulo Monkey Island chega dia 7, altura perfeita para relembrar o remake do 1º jogo.

Com a morte do departamento de aventuras da Lucas Arts em 2000 após o lançamento do Escape from Monkey Island, todos perdemos uma das mais criativas produtoras para as garras comerciais de Star Wars. Felizmente, quase uma década mais tarde com a chegada de Darrel Rodriguez (que entretanto já se demitiu) à chefia da Lucas Arts, assistimos a uma mudança de mentalidades. Em 2009, a Lucas Arts recuperou alguns clássicos da década de 90 e relançou-os no Steam e mais importante, produziu um remake da aventura gráfica mais aclamada de sempre para uma nova geração HD, o The Secret of Monkey Island: Special Edition.

O jogo original foi o ponto alto da antiga Lucas Arts, fruto da ligação de três talentos da casa, Ron Gilbert, Tim Schaffer e Dave Grossman. Tal como grande parte das aventuras da empresa de George Lucas, The Secret of monkey Island centrava-se muito nas suas personagens e numa comédia inteligente e sarcástica.

Este remake manteve os aspectos narrativos inalterados, as únicas mudanças centram-se na parte técnica. Os backgrounds foram refeitos em HD, a musica regravada e remasterizada e foram incluídos voice overs protagonizados pelo elenco do 3º jogo da série (e o primeiro a ter vozes) The Curse of Monkey Island, onde é obrigatório destacar Dominic Amato a voz oficial e definitiva de Guybrush.

O resultado final é bastante satisfatório, os grandes pontos positivos do jogo acabam por ser os que tornaram o original tão bom, no entanto as alterações mais dramáticas acabam por tornar esta versão um pouco coxa, em especial os controlos. Costuma-se dizer que no que está bom não se mexe e o sistema de controlo do original (e de todos os jogos que corriam no motor SCUMM) é perfeito, algo que não acontece nesta nova versão.

Mas se exceptuarmos os controlos trapalhões, poucas falhas há a apontar a esta edição especial. O voice acting é brilhantes, visualmente é competente, a música é deslumbrante e a cereja no topo do bolo é a possibilidade de mudar instantaneamente entre a nova e antiga versão do jogo com o premir duma simples tecla. Podemos dizer que em termos sonoros e visuais é um remake de luxo e em termos de controlo nem por isso. Mesmo com os defeitos que trás por arrasto conseguiu ser um dos meus jogos favoritos de 2009.

Acaba por ser uma viagem nostálgica para quem jogou o original, mas igualmente uma forma apelativa para apresentar o clássico a uma nova geração de jogadores que cresceram numa industria que raramente atingiu este nível de brilhantismo

Positivo:
– Excelente voice acting
– A antiga musica em todo o seu esplendor
– Possibilidade em trocar entre ambas as versões num piscar de olhos

Negativo:
– Controlos trapalhões
– O cabelo do Guybrush😀

 

Sai do templ… do PixelHunt com:


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: