Monkey Island 2 Special Edition: Le Chuck’s Revenge [2010]

E pronto, depois de passar a semana a falar nele lá o acabei. Ao contrário da primeira edição especial eu nunca joguei o Monkey Island 2 original, eu sei que é imperdoável, ainda por cima até gosto da série, mas mais vale tarde que nunca. Assim, esta pequena critica acaba por funcionar como texto de opinião também ao original.

Já falei um pouquinho sobre os outros jogos da série, e se há algo que não gostei nos mais recentes em comparação com o primeiro jogo é o nível de dificuldade dos puzzles que a meu ver atingiu níveis ridículos no 4º jogo, Escape from Monkey Island. Grande parte do jogo era composto por puzzles completamente idiotas e com pouco sentido lógico. Pelo contrário o The Secret of Monkey Island, embora também os tivesse, era bem mais “civilizado” nesse aspecto.

Neste 2º jogo é bem visível o rumo que iam levar mais tarde, o nível de dificuldade disparou em relação ao antecessor, e alguma da lógica atrás dos puzzles é simplesmente retorcida, sendo que a única finalidade era estender a duração do jogo (o Ron, Tim e Dave admitem isso mesmo nos comentários áudio). Isto pode parecer desculpa para admitir que usei as hints do jogo, mas a verdade é que fiquei completamente emaranhado na teia da lógica do Ron Gilbert e companhia. Eu até sou um jogador de aventuras gráficas acima da média, mas os Monkey Island sempre foram uma pedra no meu sapato em termos de dificuldade.

Embora nunca tivesse jogado o original, eu conhecia parte da história, em especial o final surreal e as suas interpretações, por isso não sofri o choque que as pessoas devem ter tido na altura. Gostei da história, achei inteligente o pormenor de todo o jogo ser basicamente um flashback e como tal os seus detalhes podem ter sido exagerados pelo Guybrush para tentar impressionar a Elaine, e é uma forma inteligente de fugir à morte do Guybrush, dá para ver onde o Prince of Persia: Sands of Time foi buscar inspiração. No entanto gostei mais da história do The Secret of Monkey Island, era mais directa e linear e com melhores momentos, se bem que este segundo jogo tem alguns momento igualmente memoráveis como a canção. A qualidade da escrita mantêm-se fenomenal, a comédia é boa, e os personagens continuam bem construídas.

Monkey Island 2 é bem mais longo que o antecessor, acabei-o em cerca de 11 horas (como disse antes, com ajudas) porque senão iria, muito possivelmente, estender-se por volta das 20 horas. Não consegui deixar de sorrir quando num dos comentários áudio, acho que foi o Dave, disse “Mas porque raio fizemos o jogo tão longo?”. Muitas sequências e principalmente puzzles são completa palha.

Visualmente o original é lindíssimo, a artwork que é desbloqueada ao longo da progressão é simplesmente maravilhosa. Podem-me chamar nomes, mas não acho a arte do primeiro Monkey Island particularmente apelativa, por isso acabei por aceitar bem o aspecto do seu remake. No caso deste 2º jogo, embora os visuais da edição especial sejam muito melhores que os da primeira, fiquei com a sensação que poderiam ter captado alguns dos traços do jogo original, especialmente na forma mais marcada das transições das cores, no remake são um pouquinho mais deslavadas. Mas tirando isso, este edição especial é belíssima.

O som e música seguem a mesma onda da primeira edição especial, excelente música orquestrada (embora o sistema iMUSE aparentemente tenha alguns problemas, mas nada de muito especial para mim) e está de volta o magnifico voice acting que sempre foi apanágio na série de novo com o elenco da primeira edição especial. Há igualmente algumas surpresas, como os já referidos comentários áudio de Ron Gilbert, Tim Schafer e Dave Grossman, e o artwork original que é desbloqueado ao longo do jogo. Da primeira edição especial mantêm-se a possibilidade de trocar entre versões com um simples premir duma tecla e as ajudas em jogo que são bem úteis. As animações sofreram uma clara melhoria, em especial na forma como o Guybrush se move e nas várias animações que ele faz em alguns momentos chave ou quando está parado.

Resumindo e concluindo, bom jogo e bom remake. Como jogo, achei-o melhor que o The Curse of Monkey Island, mas inferior ao The Secret of Monkey Island. Como remake é uma clara melhoria em relação ao do primeiro jogo. Embora tenha um elevado grau de dificuldade é um jogo obrigatório para quem se interessa minimamente por aventuras gráficas.

 

Positivo:
+ Visuais são uma clara melhoria em relação à primeira edição especial
+ Voice acting de topo
+ Comentários áudio

Negativo:
– Cortaram a introdução
– Alguns puzzles são insanos

Sai do templ… do PixelHunt com:


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: