Freaks – A Parada dos Monstros [1932]

Uma pausa nos filmes da Universal para ver a aposta da MGM no género. Freaks foi o novo (e um dos últimos) filme de Tod Browning que vinha do grande sucesso, Dracula.

Já tinha visto a parte final há algum tempo na televisão, mas não tinha a ideia que era um filme tão pequeno, por isso penso que vi mesmo grande parte dele na altura. Acho que Freaks mantém-se um pouco actual em termos temáticos, mas é sem duvidas um produto da sua época que hoje dia seria impossível de ser feito e que perde um pouco o sentido como filme de terror. A forma de incutir “terror” no público baseava-se naturalmente nas deformidades de parte do elenco (deformidades reais, na medida em que os, perdoem-me a expressão, “freaks” eram mesmo “freaks“) que na década de 30 chocaram muita gente e levou inclusive a que o filme fosse censurado, banido em alguns países e acabou de certa forma com a carreira de Browning.

Se com aquele público, o efeito de choque foi um sucesso, eu penso que hoje em dia o efeito não é o mesmo. Sim, à primeira vista (e de forma involuntária) uma pessoa sente-se perturbada, mas a verdade é que passado um tempo, e graças à personalidade doce de quase todos eles, o espectador acaba por criar uma empatia e torna-se impossível sentir repulsa e choque. É mais fácil sentir revolta com os verdadeiros “freaks” que são os dois vilões ditos normais. E é esse o objectivo do filme.

Um filme deste tipo arrisca-se sempre a caminhar na fina linha que separa  a exploitation dos “freaks” e a crítica social. Freaks balanceia-se entre os dois campos. Há sempre uma pitada de exploitation, é isso que faz vender o filme, mas o argumento é suficientemente bem construído para que a mensagem e crítica social à intolerância passe sem a ideia de mau gosto.

Grande parte do elenco é obviamente amador, no entanto alguns deles estão muito bem como a doce Daisy Earls. Dos profissionais, um destaque para a Leila Hyams que parece uma antepassada da Naomi Watts.

Amanhã, Frankenstein e companhia estão de volta com A Noiva de Frankenstein.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: