The Haunting – A Casa Maldita [1963]

Saltamos para a década de 60 com o filme que melhor representa o sub-género tão popular das casas assombradas, The Haunting do grande Robert Wise.

Vou já dizer, este é um dos melhores filmes que tive a oportunidade de descobrir nos últimos tempos, enorme surpresa, não estava à espera que fosse tão bom. Acho que o terrível (tenho que enfatizar isto, é extremamente mau, péssimo) remake que tive a infelicidade de ver há uns anos foi o principal responsável pelas minhas baixas expectativas, mas acreditem que os dois filmes são como o dia e a noite.

Antes de mais este é um filme genuinamente assustador, há algumas cenas muito bem construídas (especialmente a nível sonoro) que no ambiente certo provoca alguns arrepios. Mas o mais fascinante é que nunca se vê absolutamente nada. É tudo feito através do som (certamente um resultado do background do Robert Wise como editor sonoro) e da nossa imaginação, este é um dos filmes que mais e melhor segue a regra de que o que não se vê é mais assustador.

Um ponto que a meu ver eleva The Haunting é a protagonista, Nell, interpretada por Julie Harris. Ela uma personagem complexa, extremamente insegura, obsessiva, reprimida, instável e com profundas marcas psicológicas causadas por onze anos “gastos” a cuidar da sua mãe da qual se culpa pela sua morte. Pelo que tenho andado a ler, parece que há muita gente que não gosta dela, mas quem me conhece sabe como adoro protagonistas imperfeitos. Tudo isto é mais interessante porque ouvimos constantemente os seus pensamentos que mostram bem todas estas feridas. É uma das melhores personagens que me lembro ver num filme de terror.

O resto do elenco (basicamente mais três elementos) são igualmente interessantes, mas obviamente sem o mesmo grau de complexidade. O Dr. Markway é o impulsionador da experiência, é um individuo que vem dum meio cientifico mas que acredita no sobrenatural e tenta provar a sua existência. Theo é uma mulher liberal, o oposto da Nell mas com o qual sente uma evidente atracção, há um claro subtexto lésbico na sua personagem. Finalmente o Luke, herdeiro da mansão é o personagem menos desenvolvido, é basicamente um comic relief, mas representa o espectador, é basicamente um espectador dentro do filme. Destaque também para a Lois Maxwell a eterna Moneypenny que tem aqui uma pequena participação.

Outra coisa que gostei, é que embora seja um filme de terror, ele é muito mais que isso. É acima de tudo um drama psicológico, um retrato da forma como a Nell, uma pessoa à partida já fortemente fragilizada, cai numa espiral de loucura e insanidade, tudo isto através de algo que não é explicito. O que quero dizer com isto é que não foi propriamente a mansão assombrada e o sobrenatural (que até podemos afirmar que é inexistente porque nada é claro nem factual) que a fez comportar-se daquela forma, mas foi sim tudo fruto da sua personalidade fragilizada. É a meu ver uma questão psicológica e não sobrenatural. Atenção que não estou a dizer que a casa não estava assombrada (podiam ser manifestações do poltergeist da Nell, ou… nada), acredito que estava, mas o que afectou a Nell não foi directamente a Hill House.

Bem, dá gosto quando um filme do qual pouco se espera e que se vê quase como obrigação me surpreende assim tanto, até me dá mais força para continuar a maratona. E pois bem, amanhã será a vez do primeiro filme em inglês do Polanski, Repulsion.

 

Comments
2 Responses to “The Haunting – A Casa Maldita [1963]”
  1. Chico diz:

    Este é um dos melhores filmes de terror de sempre.
    Devias ter visto primeiro este, e nunca o remake 🙂

  2. Pior ainda, vi o remake no cinema! Tinha eu para aí 16 anos e mesmo nessa altura odiei aquilo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: