Dawn of the Dead – A Maldição dos Mortos-Vivos [1978]

Tal como os mortos-vivos retratados, a temática zombie renasceu das cinzas durante a última década depois de um largo período em que esteve adormecido. O próximo filme da minha lista  é na minha opinião o melhor filme de zombies, Dawn of the Dead do George Romero.

Dawn of the Dead é um dos filmes da lista que melhor conheço, por isso acho que me arrependi de o ter escolhido para a maratona porque prefiro descobrir filmes novos. Deveria ter optado pelo Day of the Dead que nunca vi… mas olha, azar. Mas acabou por valer a pena revê-lo, é um filme que gosto bastante e sei que são sempre duas horas bem passadas.

O que mais gosto é que embora seja um filme de zombies, ele é muito mais que isso. Mesmo nesta fase em que estou saturado da temática zombie (o Dead Rising 2 não está a ajudar) o Dawn of the Dead é sempre apelativo, porque o foco da história não está nos zombies, mas sim nos seus quatro protagonistas e na forma como eles enfrentam o apocalipse. Os seus comportamentos reflectem bem o espírito e o instinto humano, se inicialmente eles fugiam um pouco sem destino à procura de combustível para o helicóptero, rapidamente eles mudam de comportamento tal como o ser humano fez à milhões de anos. Nós, como espécie, passamos de uma etapa nómada para um estilo de vida sedentário e recolector. O mesmo se passa no filme, o centro comercial torna-se num mini paraíso (gosto muito do êxtase quase infantil que alguns deles demonstram quando andam a fazer “compras”) e numa mini-utopia dos quatro residente, que é destruído por um gang que simboliza os primórdios humanos (nomadismo e violência).

Durante o filme mencionam bastantes vezes que os mortos-vivos funcionam simplesmente através do instinto, como se isso os separasse de nós, na verdade todo o comportamento de cada um dos sobreviventes é marcado precisamente pelo instinto. É muito focada a mensagem consumista, ligando a atracção dos zombies ao centro comercial à dependência humana e ao consumismo desenfreado, mas na verdade os protagonistas comportam-se de forma semelhante.

Dawn of the Dead é para mim uma óptima mistura entre amadorismo e profissionalismo. Tem maiores production values em relação ao The Night of the Living Dead, mas continua a manter aquele lado modesto e independente que lhe dá um charme especial. É um filme indispensável para quem gosta da temática zombie e quer descobrir uma das obras mais influentes do cinema de terror moderno.

Comments
2 Responses to “Dawn of the Dead – A Maldição dos Mortos-Vivos [1978]”
  1. Aurélio Pereira diz:

    Este filme é obrigatório para quem gosta do género, há o remake de 2004 que na minha opinião não mancha em nada a reputação do original mas está longe de ser tão bom como o primeiro.

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] real. Bandos que se juntam para assaltar e matar pessoas indefesas (semelhante ao que vemos em Dawn of Dead por exemplo), momentos de pânico em que pessoas abandonam amigos para sobreviver, indivíduos que […]



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: