Cannibal Holocaust – Holocausto Canibal [1980]

Entramos na década de 80 para o 14º filme da maratona. Hoje é dia do clássico exploitation Cannibal Holocaust.

Cannibal Holocaust tem a fama de ser um dos filmes mais chocantes da história e chegou a levantar uma curiosa polémica em Itália quando o filme foi banido sob suspeitas de que as mortes retratadas eram de facto reais, levando mesmo à prisão do realizador Ruggero Deodato. Não é o filme mais chocante que vi, mas certamente não andará longe. É um filme dificil de classificar, por um lado é suportado por uma premissa inteligente e bastante criativa para a época, mas por outro a forma como tenta passar a sua mensagem a meu ver não é a mais correcta.

Gosto muito da ideia de dividir a narrativa em dois tempos, entre as filmagens do grupo de jovens e o presente em que o antropólogo descobre essas mesmas filmagens e mais tarde analisa-as. A ideia das filmagens perdidas serem encontradas é uma mais que óbvia inspiração para o Blair Witch Project. A mensagem que é passada varia entre a dependência cada vez maior que os media têm do choque para vender e a violação do homem “civilizado” à natureza.

É na forma como essa mensagem é passada que a meu ver reside o grande problema do filme. Não deixa de ser um pouco hipócrita criticar a sede cada vez maior que há pelo choque quando se está a fazer um filme exploitation cujo único foco reside exactamente nas imagens chocantes. E e Cannibal Holocaust entra em quase todas as áreas polémicas: decapitações, empalamentos, desmembramentos, violações colectivas, abortos, mutilações genitais, morte de animais, nudez… enfim tudo o que os censores apreciam 😀

As mortes humanas são bastante realistas, “gostei” especialmente da mulher empalada e do esventramento da primeira vitima do grupo, também bastante realista. Mas isso não é propriamente chocante, o pior são as mortes dos animais, não por serem animais, mas por serem verdadeiras. A morte da tartaruga foi dos momentos mais repulsivos que vi num filme. Para mim aquilo vai contra um dos aspectos mais elementares do cinema. O cinema é o faz de conta, é a arte de simular a realidade e enganar o espectador, e aquilo para mim não é cinema. Dou valor à arte colocada em fazer parecer o empalamento real (tiro o chapéu ao departamento de efeitos e maquilhagem) mas nunca ao facilitismo de matar animais só pelo realismo.

O elenco de actores é amador e isso vê-se quando têm de falar, não sei se é por incapacidade ou por causa dos terríveis diálogos, a escrita é bastante pobre. Digo isto porque nos momentos mais intensos em que eles tinham que actuar com o corpo, sem falas, eles até se desenrascaram. E mais importante que tudo, conseguiram transpor bem as suas personagens para o ecrã (o grupo de documentaristas são um bando de seres humanos asquerosos e miseráveis). E também muito importante, as condições de trabalho a que foram submetidos é impressionante, e os relatos que se lê das filmagens é quase inacreditável.

Este é um filme extremamente realista. Por exemplo a morte de animais desarma o espectador de tal forma que coloca duvidas se é ou não real. Se é (e são) então e o resto das cenas chocantes? O que é real? É essa duvida (que pelos vistos existiu mesmo na altura) proveniente do seu extremo realismo que o torna mais perturbador porque a ideia de filme e realidade misturam-se.

Cannibal Holocaust é um filme que seria impossivel de ser feito hoje em dia (ainda bem… acho eu) mas não deixa de ser um importante marco no cinema de terror, elevou a fasquia dos limites e do que podia fazer no género e trouxe novas ideias que anos mais tarde foram copiadas e seguidas.

Vou fazer uma pausa de alguns dias e regressarei com o Re-Animator.

Comments
One Response to “Cannibal Holocaust – Holocausto Canibal [1980]”
  1. efraimsantos diz:

    tive a pior ideia d minha vida de assistir esse filme é muito apelativo e bizarro, argh….. ate agora me dar arrepios quando me lembro de algumas cenas,esse filme “separa os homens dos meninos”fiquei vários dias sem dormir ainda mais porque quando assistir estava em depressão profunda, só aconselho a quem realmente tem estomago forte a assistir esse filme, não foi a toa que prenderam o deodato por causa dele, quero encerrar deixando a mesma frase final do filme -“fico me perguntando quem são os verdadeiros canibais”, quem assistir ao filme entendera o que estou dizendo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: