Ju-On – A Maldição [2003]

Aproximamo-nos rapidamente do Halloween e do final da maratona. Ontem foi noite oriental com um dos mais conhecidos filmes de terror japoneses da ultima década, Ju-On.

O filme é basicamente uma variação do clássico subgénero das casas assombradas, mas aqui há um pequeno detalhe que se centra na maldição que funciona como um vírus, ou seja as vitimas dos fantasmas vão-se alastrando como se duma epidemia se tratasse.

Ju-On é um filme que a meu ver desperdiça muito do seu potencial. É um filme que domina a arte do suspense e do build-up de forma genial, é um dos melhores nesse aspecto, o problema é que as revelações dos fantasmas (uma mulher e o seu filho) depois desses momentos de suspense são quase sempre bastante patetas e simplesmente não metem medo.

A história minimalista também não ajuda, fiquei claramente com a ideia de que para além da premissa básica (a ideia da maldição) os criadores não sabiam bem o que fazer. Eles devem ter a consciência que sabem muito bem manipular o ritmo dos momentos de suspense porque todo o filme é precisamente uma série desses momentos. Há meia dúzia de diferentes capítulos com diferentes vitimas (todas elas se cruzam ao longo do filme) e cada capitulo é quase uma cópia dos outros, servindo apenas como desculpa para mostrar os brilhantes momentos de suspense.

O problema é que após os primeiros capítulos, ficamos com a ideia de que já vimos tudo, e para o final as coisas ficam previsíveis porque já conhecemos os truques para assustar. No entanto, e falando em truques, Ju-On usa alguns que raramente são usados e não percebo porquê (são extremamente eficientes) que são os vultos no canto olho, aqueles momentos em que surge algo estranho e o filme não os mostra como normalmente fazem, seja com musica ou com o foco. Não sei se me expliquei bem.

Como já disse estes fantasmas não são assustadores, o que é pena. Chaga a uma altura em que mostram-os demasiadas vezes de forma muito clara, isso nunca é bom porque tornam-se invariavelmente mais familiares e menos misteriosos. O The Haunting nunca mostrou nada e foi mais assustador.

Comparando-o com o outro sucesso de terror japonês, The Ring (só vi a versão americana, que dizem que é superior) Ju-On é muito mais assustador mas The Ring tem uma narrativa muito superior.

Mesmo com as suas falhas, Ju-On tem momentos de tensão brilhantemente montados e só por isso merece ser descoberto. Hoje será noite de Actividade Paranormal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: