The Shining [1980]

Entramos na década de 80 com o unico filme de terror do Kubrick.

Por esta altura os períodos entre filmes do Kubrick eram cada vez maiores, ele fez apenas dois filmes durante toda a década de 70 e outros dois durante a de 80, mas em compensação cada um dos filmes era completamente distinto do anterior. The Shining é uma aposta do Kubrick num novo género ainda desconhecido para ele, o terror.

A par do 2001: A Space Odyssey, The Shining é de longe o filme mais ambíguo, enigmático e indecifrável da sua filmografia. Está carregadinho de simbologia, metáforas e enigmas que levam a diversas possíveis interpretações que cada pessoa pode seguir. Não sei se a leitura do livro do Stephen King pode ajudar (nuinca o li) mas segundo parece o filme adoptou tantas liberdades que talvez não seja assim tão relevante. Curiosamente o Stephen ficou tão desagradado com esta versão do Kubrick que acabou, ele próprio, por fazer a sua versão. Apenas uma delas passou o teste do tempo, não é difícil de adivinhar qual.

O género do terror é bastante mais complexo do que à primeira vista possa parecer, não é fácil fazer um brilhante filme  de terror porque requer uma manipulação dos sentimentos do espectador que nem sempre é fácil. The Shining tem muitos elementos clássicos do terror, mas o objectivo não é assustar e de facto não é assustador, por vezes até parece que goza com alguns clichés do género, como no uso abusivo dos “choques sonoros”. Ao invés, The Shining usa um ambiente opressivo para contar a sua história, o “terror” é apenas um veiculo narrativo e não o contrário como é vulgar no género.

Este foi o primeiro filme do Kubrick com uma steadicam que basicamente permitia filmar em movimento sem o apoio de carris, e ele usou e abusou desta nova tecnologia. The Shining está carregado de travelling shots, alguns deles memoráveis como os passeios de triciclo do pequeno Danny.

O elenco é minúsculo, praticamente reduzido a quatro personagens, e embora o Jack Nicholson tenha aqui uma das suas interpretações mais icónicas, não acho que este seja um dos pontos mais fortes do filme. Sheley Duval é muito esforçada, mas a meu ver, ela e o Jack são um dos casais menos credíveis que tenho memória.

Melhores cenas? A mais conhecida é claro a do machado, mas temos também o elevador com uma forte hemorragia, as gémeas e a cena da banheira (provavelmente a parte mais assustadora do filme). Mas pessoalmente a minha favorita é o dialogo entre o mordomo (nunca tinha reparado que é o pai do Alex de A Clockwork Orange e o “advogado/secretário de Barry Lyndon“) e o Jack no WC.

Ficam apenas a faltar dois filmes, não vou conseguir termina-los até ao aniversário da sua morte (que é amanhã) mas cheguei perto🙂 Resta um dos filmes que menos gosto e que precisa desesperadamente de uma nova visualização (Full Metal Jacket) e um dos meus favoritos (Eyes Wide Shut).

Comments
One Response to “The Shining [1980]”
  1. Álvaro diz:

    Vi este filme quando era miúdo com 2 amigos e repetimos a experiência. O filme ficou-nos na memória e ainda hoje falamos dele.
    Está tão bom que me mete medo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: