Shaun of the Dead – Zombies Party: Uma noite de… Morte [2004]

Fuck me… o titulo português merece que lhe defequem em cima. Anyway, deu-me na cabeça que queria rever uma das minhas comédias favoritas, e como não é necessária grande força de vontade para o fazer… foi o que fiz. Já agora aproveito para recuperar uma crítica que tinha feito há tempos para o site do Red Carpet. Sim, porque escrever já requer mais força de vontade.

Os britânicos sempre foram mestres no humor, mostram ousadia, brilhantismo e inteligência. A mais recente (nota: já não são assim tão recentes lol) geração de comediantes é uma das mais talentosas dos últimos tempos, onde séries como Black Books, The Office, Extras, Big Train, The League of Gentleman, Peep Show, Spaced entre muitos outras comprovam. Foi precisamente numa dessas séries, Spaced, que nasceu Shaun of the Dead.

Spaced foi uma série criada há 12 anos pelo realizador Edgar Wright e os argumentistas e protagonistas Simon Pegg e Jessica Hynes. Ela foi um enorme sucesso entre as gerações mais novas, invadidas pela cultura popular. Daí até Shaun of The Dead, foi um pequeno passo com Edgar e Simon a decidirem fazer um filme que homenageasse um dos seus géneros de filmes favoritos, o de zombies. Tudo nasceu num dos episódios de Spaced onde numa cena o protagonista sofria de alucinações e era atacado por zombies. Edgar e Simon gostaram tanto de a filmar, que chegaram à conclusão que queriam fazer um filme sobre o tema. Após o fim da série, começaram de imediato a trabalhar em Shaun of the Dead, a primeira parte da apelidada Trilogia do Cornetto, cuja segunda parte, Hot Fuzz estreou em 2007.

Edgar e Simon conseguiram reunir um leque de talentosos actores, desde personagens principais a pequenos cameos podemos ver a nata da (na altura) nova geração de comediantes britânicos. Obviamente Simon Pegg e Nick Frost (Spaced e Hot Fuzz), Kate Ashfield, Dylan Moran aqui num papel bem diferente do que nos habituou em Black Books, Lucy Davis (The Office), o multifacetado Peter Serafinowicz (The Serafinowicz Show), o veterano Billy Nighy e cameos de Jessica Hynes (Spaced), Martin Freeman (The Office), Matt Lucas (Little Britain), Tamsin Greig (Black Books, Green Wing), a fantástica Julia Deakin (Spaced) entre outros. De nada serviria juntar tanto talento se as personagens não ajudassem, felizmente grande parte delas são muito bem estruturadas e mesmo as mais secundárias são coesas graças ao argumento de Edgar e Simon.

As interpretações são, na maior parte dos casos, bastante boas, embora quase todo o destaque vá para Simon Pegg e Nick Frost. Simon está como peixe na água como herói atrapalhado e temeroso, a personagem foi feita completamente à sua medida. Nick Frost vai mostrando que é um actor bastante versátil, ao interpretar com grande competência personagens bem distintas entre si. A meu ver a parte feminina do elenco teve menos oportunidade para brilhar (razão a qual falarei mais à frente) e Kate Ashfield e Lucy Davis apesar de serem boas actrizes, estiveram mais apagadas que os seus colegas masculinos.

Embora o argumento seja um dos pontos fortes, fica a ideia de que poderia ser ainda melhor, pelo menos se o compararmos com Spaced. Enquanto que a série juntava de forma brilhante o lado masculino e feminino da escrita de Simon Pegg e Jessica Hynes, Shaun of the Dead parece, por vezes, algo coxo. O facto de não haver uma forte personagem feminina (embora Kate Ashfield esteja bem) deve-se a meu ver à falta de uma Jessica a ajudar na escrita. De resto, o filme está recheado de referências e homenagens principalmente aos filmes de terror e de zombies, obviamente aos clássicos de Romero (principalmente a Dawn of the Dead como não poderia deixar de ser), Evil Dead, 28 Dias Depois, Braindead entre outros, e claro dezenas e dezenas de pequenas e divertidas referências a Spaced.

A realização de Edgar Wright é a que se espera dele, um estilo muito próprio com muito movimento, dinamismo, sequências rápidas, cortes e planos ousados como mostrou igualmente em Asylum, Spaced, Hot Fuzz e Scott Pilgrim vs The World.

Concluindo, Shaun of the Dead é uma excelente comédia, um bom filme de zombies e um romance mediano, sendo já um clássico de culto que movimenta milhares e milhares de seguidores. À primeira vista podemos pensar que é mais uma paródia, mas nada mais errado, este é um filme que, acima de tudo, respeita, venera e homenageia as suas referências.

Comments
2 Responses to “Shaun of the Dead – Zombies Party: Uma noite de… Morte [2004]”
  1. Álvaro diz:

    Lembro-me de ter visto este filme à uns anitos e adorei. É como dizes “uma excelente comédia, um bom filme de zombies”, já a parte do romance, passou-me um pouco ao lado, daí o classificares como mediano.
    Dos melhores filmes de zombies que já vi.

  2. daisy diz:

    I LOVE THE MOVIE🙂 IT´S VERY FUN!!!!!!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: