Hard Reset [2011]

Durante o  Natal estive a jogar uma das minhas compras da promoção do Steam, Hard Reset.

Hard Reset caiu um pouco de para-quedas, foi anunciado poucos meses antes do lançamento, vinha dum estúdio polaco recém criado, a Flying Hog Studios, composto por antigos membros da People Can Fly, CD Projekt Red e City Interactive e quase nem deu tempo para me preparar e mentalizar, passado um par de meses já estava ao preço da chuva. É uma estratégia invulgar que até nem desgosto, cria algum hype e não deixa que as pessoas o percam durante longos meses de espera.

O jogo vinha rotulado como um Painkiller num universo cyberpunk, e isso pessoalmente era bastante atractivo, no entanto acho que Hard Reset fica aquém do que se propõe fazer. Primeiro de tudo é extremamente pequeno, 5 horas no nível de dificuldade médio é deveras curto, mesmo com o preço reduzido que está à venda. Em segundo lugar, mesmo tendo em conta que este é um shooter arcada frenético é pena que os combates em si sejam tão repetitivos e pouco variados, há apenas meia dúzia de diferentes inimigos.

Isso não significa, no entanto, que Hard Reset não seja divertido, mesmo com o combate repetitivo é bastante gratificante experimentar as “diferentes armas” e mudar a forma como abordamos o combate. Usei aspas em diferentes armas porque na verdade só há duas, no entanto cada uma delas tem diversas variantes, o que na pratica significa que há mais uma dezena de armas à nossa disposição. Elas vão sendo desbloqueadas em terminais ao longo do jogo de acordo com a experiência que vamos ganhando em combate e exploração e não deverá ser possível (eu pelo menos não consegui) desbloqueá-las todas num só playthrough. Felizmente, após o termino da campanha são desbloqueado mais dois tipos de jogo, entre os quais o EX mode, que é um novo termo para New Game +, onde, aí sim poderemos desbloquear o resto das armas e armaduras.

Em termos sonoros não há muito a destacar, acho que se perdeu uma boa oportunidade para recriar sonoridades cyberpunk clássicas, é tudo bastante genérico e as armas não têm grande impacto sonoro, no entanto os visuais são muito competentes. Como é um exclusivo PC o motor de jogo está muito bem optimizado, e mesmo não sendo um portento técnico, a direcção artística esconde os buracos que o motor pode mostrar.

Resumindo e concluindo, Hard Reset é um jogo curto, simples e repetitivo mas também divertido enquanto dura. Pelo preço não há muito a ponderar, merece ser descoberto, especialmente pelos fãs de shooters mais arcada.

Positivo:
+ Visuais cyberpunk
+ É divertido q.b.

Negativo:
– Curtinho
– Repetitivo
– A história é… estúpida

Sai do templ… do PixelHunt com:

Comments
4 Responses to “Hard Reset [2011]”
  1. Mas será a história mais estúpida do que a do Merchants of Brooklyn, onde aparentemente somos um Neandertal que é descongelado no futuro e chamado para lutar contra bestas e corporações (passe a redundância)?😆

  2. 1000Tron diz:

    Muito bom o blog e suas análises, acompanho a alguns meses e só agora resolvi comentar, aproveitando para agradecer. Obrigado!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: