Dead Space 2 [2011]

Tal como prometido, joguei e terminei Dead Space 2.

Na minha análise a Dead Space acusei-o de não ser assustador, as expectativas neste campo não eram propriamente as melhores para esta sequela e… com razão. Muitas das falhas que apontei ao facto de que simplesmente não é um jogo assustador, mantêm-se praticamente inalteradas. Mas é de bom grado que digo que de resto, Dead Space 2 é um enorme passo à frente em relação ao seu predecessor.

Quase todos os problemas e falhas que apontei ao original foram corrigidos, em especial os terríveis, terríveis controlos com rato e teclado, agora estão perfeitos, é um alivio poder deixar de parte o gamepad. Normalmente isso traduzir-se-ia num jogo mais fácil (e de certa forma o combate está mais acessível por poder apontar com o rato) mas este segundo capitulo pareceu-me bem mais desafiante que a primeira aventura de Isaac Clark, especialmente após o 10º capitulo (um excelente capítulo por sinal) onde existem algumas sequências dos diabos. A jogabilidade também sofreu melhorias, Isaac está menos… “tanque” na sua movimentação, a deslocação na gravidade zero é agora infinitamente superior (podemos levitar a nosso belo prazer) e ao longo do jogo somos apresentados com uma maior variedade de cenários e desafios, deixando de ser tão repetitivo quanto Dead Space era. A câmara é menos problemática, os cenários deixaram de ser tão claustrofóbicos e são um pouco mais abertos o que ajuda e melhorar o campo de visão.

Por falar em cenários, há aqui uma maior variedade de ambientes que contrastam com o USG Ishimura do primeiro jogo. Se em Dead Space tudo era muito sujo, metálico e prático não fosse a nave uma nave mineira, em Dead Space 2 o jogador passa por uma série de diferentes cenários, bem mais apelativos, já que o centro da acção é uma estação espacial na órbita de Saturno. No entanto no meio de igrejas, minas, centros governamentais, centros comerciais e escolas (outro bom capítulo), a área mais memorável é nada mais nada menos que um revisitar aos locais do primeiro jogo.

Como normalmente acontece com as sequelas de jogos de sucesso, há sempre a tendência para fazer mais e mais e mais com um orçamento ainda maior. Dead Space 2 é mais cinemático e atira de vez quando com sequências semi-jogáveis onde tudo explode e tudo acontece à nossa volta (inspirado pelas set pieces de Uncharted). É sem dúvida espectacular e um festim para os olhos, mas sempre que surgiam, ficava-me a sensação de que não encaixam bem no que deveria ser um Dead Space. Se calhar sou só eu…

O herói Isaac Clark, que em Dead Space era basicamente um avatar do jogador, sem qualquer linha de dialogo, está agora mais falador e até vem com uma personalidade. É uma grande mudança, de inicio admito que estranhei (e muito) e os seus diálogos (muito pragueja ele, que jogo adulto!) foram um autêntico turn off para mim. Mas aos poucos foi crescendo e acabei a gostar genuinamente dele no final. Muita desta mudança de sentimento deve-se à sua personalidade, ou melhor, aos conflitos internos de Isaac. Eu tenho um fraco por heróis imperfeitos e Isaac é um individuo com fortes perturbações mentais induzidas pelo marker e por profundas cicatrizes emocionais causadas pela morte da Nicole. Há aqui um (ainda que ténue) crescimento na personagem de Isaac, que resulta melhor que no primeiro jogo.

Outro resultado do maior orçamento é o extremo polimento e os elevados valores de produção. Praticamente não há bugs, glitches e tal, as animações são muito boas e o port para PC está quase perfeito (falta o suporte do rato para navegar no inventario e na loja), bem diferente do que vi em Dead Space. Tecnicamente não tenho nada a apontar, em termos sonoros é competente e visualmente idem, idem, aspas, aspas. Por falar na parte visual, na minha análise ao primeiro jogo esqueci-me de referir um aspecto delicioso, a ausência dum HUD tradicional, ou seja toda a informação relevante está inserida e camuflada no fato do Isaac, bem catita.

Multiplayer… não acho que faça qualquer falta a um jogo como Dead Space, todos sabemos porque está aqui. Joguei umas partidas mas não retirei qualquer prazer.

E pronto, parece que Dead Space 2 é realmente um excelente jogo… no entanto não posso deixar passar os mesmos erros e falhas que mantém sempre que se fala em terror. Os truques que usa para criar medo continuam a ser previsíveis e repetitivos, o que é um enorme entrave para criar desconforto no jogador. Mas tenho que ser justo, fica uma clara ideia de que a Visceral Games tentou melhorar, colocando o jogador em algumas situações distintas, no entanto comete o erro de repetir até à exaustão essas novas situações. Tiro o chapéu à sequência do… olho… no penúltimo capitulo… suei um pouquinho 😀 Mas mesmo assim houve algumas oportunidades desperdiçadas para retirar o jogador da sua esfera de segurança, não acredito que não tenham aproveitado os pequenos túneis de serviço claustrofóbicos de ligação, para uma sequência desconfortável. A história, à semelhança do primeiro jogo, continua a ser uma desculpa para transformar Isaac num moço de recados, o único aspecto redentor é todo o conflito interno do protagonista que já mencionei

Mesmo continuando a falhar em pontos tão importantes, Dead Space 2 é um jogo de acção acima da média e uma sequela bem superior ao seu predecessor.

Positivo:
+ Controlos perfeitos no PC
+ Combate divertido
+ Polimento

Negativo:
–  Continua a falhar quando quer meter medo
– Últimos capítulos desinspirados

Sai do templ… do PixelHunt com:

Comments
One Response to “Dead Space 2 [2011]”
  1. Gostei do primeiro momento: a alucinação da Nicole, que parece real até se tornar num monstro.

    De resto… Hurm /Rorscharch.

    As melhorias são notáveis, mas também reforçam precisamente as falhas do primeiro. Além disso, ainda se mantém aquela “regra de três”: tudo o que os designers gostaram é repetido umas três vezes, especialmente nos confrontos contra inimigos. E ainda há o problema do horror: não existe, e muitas sequências, hands off ou não, são um decalque pouco inteligente de coisas que já vimos em tantos outros lugares, em particular no cinema. E aquele momento da história que “spoilei” nos comentários ao primeiro, hein? Onde a voz do outro lado do comunicador se faz amiga do Issac, e depois em vez de o levar com ele para onde quer que fosse, decide estupidamente revelar o que lhe pretende fazer. Não sou dado a raptos, mas não me parece que fosse revelar o meu super-ultra-duper plano maquiavélico à minha vitima antes de ter a certeza que a conseguia raptar. Mais um exemplo de coisas que soaram bem à equipa mas ninguém pensou nelas para além de uma alínea na apresentação PowerPoint.

    Quanto ao Hud, não me aquece nem arrefece. Lolei um bom bocado quando a Visceral disse qualquer coisa como “tirámos o Hud tradicional para não distrair o jogador, e não o fazer aceder a menus e afins, de modo a nunca o tirar do jogo”, a respeito do primeiro DS. Mas… basta pausar o jogo para ser confrontado com o facto de que estou a jogar um jogo. Duuuuh.

    PS: fui só eu que achei estranho o facto de que em ambos os jogos, existam máquinas que vendem armas? É aquela lógica de frigorífico que também não funcionou no Bioshock. Somos convidados a acreditar que as pessoas que trabalhavam nestes sitios foram arrasadas por forças superiores, sem meios de poder lutar… MAS O QUE RAIO ESTA GENTE FEZ COM O DINHEIRO QUE TINHA? É estupidamente dificil de acreditar que, tendo acesso a armas, ninguém se impôs ou falhou a fazê-lo (ou seja: se ninguém sabia lidar com armas porque razão lá estavam? se eram bons a lidar com elas, porque é que morreram – especialmente quando há duzias de gravações onde alguém grita repetidamente “shoot the limbs”?).

    Bah.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: