FIFA 12 [2011]

Antes de começar esta análise, convém revelar que já não jogo uma versão deste simulador da EA Sports há uns anos, pelo que a decisão da compra da versão deste ano além de ser altamente ponderada, foi em em certa parte uma espécie de 2ª oportunidade para um jogo que começava a desapontar-me nas mais diversas características. Mas como andava a gostar do que via nos vídeos que circulavam pela net, decidi comprar então este ano, e agora irei revelar-vos a minha opinião sobre o que pude experimentar.

Conhecido mundialmente pela quantidade absurda de licenças tanto a nível de campeonatos oficiais, como de jogadores reais, FIFA 12 apresenta-se este ano como uma versão bastante sólida da experiência que foi ganhando com as versões passadas, especialmente pelo facto de conseguir apresentar um produto interessante, bastante jogável, e incrivelmente desafiante. Aliás, atrevo-me a referir que nunca tinha visto um simulador futebolístico com uma dificuldade tão grande, isto claro está se jogarem no modo profissional ou lendário, apesar dos mais inexperientes poderem sentir o mesmo no nível normal do jogo. Mas se a dificuldade é elevada, o mesmo não poderei dizer da curva de aprendizagem deste titulo, pois ao incluir um tutorial bastante intuitivo e um modo de treino crucial e exemplificativo de todos os detalhes do jogo, arrisco-me a dizer que só não aprende a jogar este FIFA quem não quiser.

Mas se esta dificuldade era por si só, motivo de satisfação e de desafio para os jogadores, o acréscimo da denominada Defesa Táctica vem acrescentar à edição deste ano do simulador da EA Sports o toque de Midas que esta saga estava a precisar, visto que permite aos jogadores calcular com mais precisão o timing ideal para os desarmes, alem de evitar aquela sensação tão normal neste tipo de jogos, de que estamos a jogar sozinhos apenas contra uma IA que reage consoante os nossos movimentos. É justo referir que agora mais que nunca é necessário saber mais sobre futebol e sobre as regras do mesmo, e ter em conta que em campo estão duas equipas ao invés da nossa contra a IA, numa clara novidade que vem acrescentar qualidade e detalhe aos encontros já por si exigentes e bastante tácticos. Posso afirmar sem qualquer tipo de ressentimento ou vergonha, que foram várias as situações complicadas com que me deparei durante os jogos, tendo por vezes que recorrer a tácticas defensivas de modo a poder segurar resultados favoráveis, algo que nunca fazia em versões passadas deste simulador (bem como de outros).

Em termos de modos de jogo, além dos habituais campeonatos, jogos de taça e amigáveis, o destaque deste ano vai direitinho para o excelente modo carreira que permite-nos criar um jogador de raiz e inclui-lo na nossa equipa favorita, de modo a poder evolui-lo consoante as nossas proezas ou boas prestações em jogos. Tudo o que consigamos fazer de bom é motivo de upgrade para o nosso jogador, o que por sinal só incentiva à progressão do mesmo para o nível máximo ou até mesmo para a possível incursão em equipas mais competitivas. Alem disto, é possível optar também por um modo treinador que apesar de não ter o grau de complexidade de um Football Manager, consegue estar bem desenvolvido oferecendo-nos todo o tipo de opções básicas neste género de jogo. Mas se isto era já suficiente para termos jogo por muito tempo, devo confessar que a cereja no topo do bolo está no online, mais concretamente nos modos Ultimate Team e nos campeonatos online que passarei a explicar.

O Ultimate Team é um modo de jogo exclusivamente online patente numa mecânica de compra e venda de jogadores (que nos são apresentados num formato de cartões com a imagem dos mesmos) através de leilão ou da loja oficial do jogo, que incentiva-nos a construir a melhor equipa possível consoante o dinheiro ganho com as nossas vitórias em jogos ou até torneios. Pensem um pouco num RPG, mas em que em vez de evoluírem personagens, têm que evoluir uma equipa de futebol.

De inicio é-nos dada uma equipa fraca de jogadores reais e algum dinheiro em caixa para possíveis alterações, mas com o tempo somos obrigados a ter que competir e vencer desafios de modo a poder-mos comprar cartões de renovação de contratos para podermos ter disponíveis os melhores jogadores pelo máximo de tempo possível, ou até cartões de recuperação de lesões, visto que estas são uma constante mediante a dureza dos jogos ou até mesmo o cansaço derivado da excessiva utilização da mesma equipa base. É complicado explicar em palavras o quão diversificado torna-se ao fim de um tempo este modo de jogo, mas acreditem que o vicio consegue ser bastante, mais não seja pela necessidade que sentimos de possuir um plantel cada vez mais rico de modo a poder competir em torneios online mais difíceis, mas também mais valiosos em termos de recompensas, ou então para podermos “vingar-nos” de uma derrota contra uma equipa mais forte. E acreditem que isto irá acontecer-vos varias vezes.

Noutro patamar, temos os habituais amigáveis online, com a contrapartida de aqui existir uma variante com 10 divisões que incentivam-nos a obter um determinado numero de vitórias para podermos competir numa divisão superior com adversários bem mais capazes, ao passo que uma sequência de derrotas leva-nos invariavelmente para uma descida penosa de divisão e consequente frustração pela situação vivida. Simples, interessante e bem divertido.

Em termos técnicos, podem contar com os parâmetros habituais da saga FIFA, tanto ao nível gráfico com expressões faciais boas, animações muito bem conseguidas e um repertório de estádios e sequências de entrada e saída de jogadores do melhor que já se fez nesta industria, bem como uma enorme variedade de câmaras de jogo que satisfaz todo o tipo de jogadores. Já no campo sonoro, a juntar à excelente banda sonora, podem contar com uma localização para Português bem conseguida, pecando apenas em alguns comentários dos comentadores que ao fim de um tempo tornam-se repetitivos e algo desenquadrados da acção.

FIFA 12 é um óptimo jogo de simulação futebolística. É certo que quem adora Pro Evolution Soccer irá continuar com a sua opinião formada, podendo também dizer o mesmo dos fãs de FIFA, mas seja feita justiça ao trabalho da EA Sports, visto que na edição deste ano do seu simulador arriscaram em alguns aspectos e atingiram o objectivo proposto. Por vezes somos os primeiros a criticar a falta de novidades ou a falta de inovação em algumas series míticas, mas também devemos ser os primeiro a elogiar quando as produtoras arriscam bem, e nesta caso a EA Sports arriscou e conseguiu o seu objectivo, por isso da minha parte estão de parabéns.

Positivo:
+ Jogabilidade
+ Vários modos de jogo, especialmente os que são online
+ Tactical Defense

Negativo:
– Nada de relevante a salientar…

Sai do templ… do PixelHunt com:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: