The Night of the Living Dead – A Noite dos Mortos Vivos [1968]

Ontem foi vez de rever o clássico maior do sub-género de zombies, The Night of the Living Dead. Este foi o pioneiro e o que estabeleceu as regras para a mitologia do zombie moderno e fez de Romero um dos mestres do terror. Mais cedo ou mais tarde teria de entrar numa destas maratonas depois de há dois anos ter visto a sua sequela, Dawn of the Dead.

The Night of the Living Dead quase que se pode considerar o ponto de viragem entre o cinema de terror clássico e o moderno, mesmo tendo algumas amarras clássicas, apresentou novos elementos que iriam influenciar e moldar o futuro do género. Sendo a preto e branco numa altura em que a cor já era bastante comum e a musica com claras inspirações clássicas ajudaram a fazer essa mesma transição, no entanto o seu espírito independente permitiu-o entrar num modernismo à frente do seu tempo, quer seja através do trabalho de câmera mais flexível, que o diferenciavam por exemplo do que se via nos filmes da Hammer, mas especialmente através do realismo às vezes quase documental que era inovador para um filme de terror e que abriu portas para The Texas Chainsaw Massacre anos mais tarde.

 Esse mesmo espírito independente é bem visível nas cenas de acção, efeitos especiais e interpretações que são francamente pobres, mesmo para a altura. Mas tudo é compensado com o ambiente e atmosfera claustrofóbica e aquela inevitabilidade da morte, graças à realização do Romero e da forma como ele controla o ritmo do filme. Como todos os bons filmes de zombies, The Night of the Living Dead é bom não por causa dos mortos vivos mas sim pelas pessoas, pelas interacções humanas e pela forma como essas mesmas interacções trazem ao de cima os defeitos humanos, algo recorrente nos filmes do Romero. Foi corajoso ter um protagonista negro (é só a mim que me faz lembrar o Obama, especialmente na forma de falar? 😀 ), algo de extrema relevância numa década em que os EUA sofriam uma enorme convulsão racial.

Na altura o filme foi um autêntico choque por causa da violência e gore, no entanto hoje em dia é completamente inofensivo e pouco se vê. As partes mais perturbadoras acabam por ser as que causam uma maior aflição por causa do que pode vir a acontecer, como a cena em que os zombies conseguem entrar em casa. As cenas mais gráficas estão camufladas e são bastante leves.

É um clássico e obviamente é obrigatório, se bem que na minha opinião a sua sequela Dawn of the Dead é superior em quase todos os aspectos e acaba por colocar The Night of the Living Dead na sua sombra. Mas para fãs de zombies toda a série, especialmente a trilogia inicial, é obrigatória. O filme está disponível no youtube com uma excelente qualidade, podem-no ver no link em baixo. O próximo da lista é um filme de vampiros belga! Les lèvres rouges (Daughters of Darkness).

Comments
One Response to “The Night of the Living Dead – A Noite dos Mortos Vivos [1968]”
  1. Um dos meus favoritos. Este e o Dawn of the Dead.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: