Far Cry 2 [2008]

farcry2

O Far Cry 3 foi lançado há poucos meses e teve uma optima recepção. Como ainda está caro resolvi redescobrir a sua prequela, que se bem se recordam foi bastante mal recebida pela comunidade (nem tanto pela critica). Embora na altura em que joguei tenha concordado com parte das criticas que lhe apontavam, sinceramente tenho que admitir que gostei, gostei mais do que estava à espera. Pois bem, decidi revisita-lo e ver como se porta hoje em dia, quatro (já?!) anos depois.

Acho que é justo afirmar que Far Cry 2 é um shooter extremamente ambicioso e com ideias bem interessantes mas que falha por causa de simples más decisões de design, decisões essas que falarei mais à frente. Mas a ambição está lá e isso é inegável, aliás essa é uma situação que a meu ver deve ser louvada, especialmente num blockbuster desta magnitude. A forma como não dá a mão ao jogador, chegando mesmo a abandona-lo no mapa é corajosa, é algo que segundo leio e ouço, a sua sequela nem sempre o faz. A atmosfera é simplesmente irrepreensível, o setting africano é praticamente virgem na nossa industria, é sempre refrescante visitar novos locais para além dos que vemos habitualmente nos jogos modernos. Embora seja open world, o mapa de Far Cry 2 não é completamente aberto, na verdade é habilmente mascarado por elevações que proíbem a total exploração. Na prática o mapa é um intrincado conjunto de corredores que dão a ilusão de serem mais abertos do que realmente são. No entanto o jogo oferecce-nos liberdade suficiente para podermos abordar os obstáculos e objectivos da forma que quisermos.

fc2

No entanto, como referi, algumas terríveis decisões de design básicas cortam as asas a Far Cry 2, desde logo o quase imediato respawn de inimigos que patrulham as estradas. Cada viagem pela savana é um completo martírio porque temos de estar constantemente a limpar os mesmíssimos locais que passamos minutos antes. Compreendo a decisão, caso contrario chegaria um ponto em que não haveria inimigos para combater, mas deveriam ter espaçado mais o tempo de respawn, tipo um dia em jogo,  faz mais sentido. Outra má decisão é o simples copy/past das missões. Sinceramente, há uns três tipos de missões que são repetidas ad nauseum durante todo o jogo, tornando a experiência extremamente repetitiva e cansativa depois das primeiras horas. Curiosamente é uma situação bastante similar com outro jogo da Ubisoft da altura, Assassin’s Creed.

São factores que compreensivelmente afastaram o interesse de muitos jogadores, mesmo eu que defendo Far Cry 2 tive grandes dificuldades em arranjar motivação para acabar o jogo desta vez, por simples fatiga fruto dessa mesma repetição. Mas pessoalmente, o ambiente africano consegue levar a melhor, é simplesmente delicioso explorar este país (fictício) mergulhado numa guerra civil . Outro aspecto que foi alvo de inúmeras criticas negativas é o elevado numero de horas que o jogador passa a conduzir, e é um facto caso o jogador opte por não utilizar os autocarros em jogo, que na prática funcionam como fast travel. Mas pessoalmente esse é uma faceta que a meu ver trás um maior realismo ao jogo. Aliás realismo é um bom adjectivo para descrever Far Cry 2, especialmente na forma como retrata o ponto de vista do protagonista. Este é um jogo na primeira pessoa e é-o sempre, nunca abandona essa perspectiva e é delicioso ver todo o corpo a funcionar em todas as acções que o jogador faz, desde abrir portas, primeiros socorros, conduzir, fazer reparações, etc.

Em termos técnicos Far Cry 2 era bastante impressionante para a altura (se excluíssemos o Crysis), se bem que eram evidentes alguns “truques” baratos, o fundo dos rios não têm qualquer detalhe, o mapa não é totalmente aberto e por ai fora. Mas é inegável que faz algumas coisas dignas de nota, o especial destaque vai para o maravilhoso fogo que arde e se espalha duma forma bem realista. Em termos sonoros tenho que destacar o horrivel, horrivel voice acting. Por alguma razão todos falam a correr tipo nos anúncios a medicamentos nas rádios lol Não percebo porque fizeram isto.

fc2b

Em termos narrativos é para mim uma enorme desilusão, não que eu tivesse quaisquer esperanças de ver algo com qualidade, mas meteu pena porque tinha as bases para algo melhor. A grande desilusão vem logo nos primeiros minutos quando a única indicação que temos é: Encontra o Jackal. E mais nada. Imaginem que poderíamos percorrer todo o mundo de Far Cry 2 à procura dele, seguindo as pistas que bem entendêssemos, ttudo ao nosso ritmo. Se soubéssemos onde ele estava podíamos acabar o jogo em 15 minutos, seria fantástico! Podiam criar um sistema aleatório que mudaria a sua localização em posteriores playthroughs ou algo do género. Não sei algum jogo já fez isto, mas foi Far Cry 2 que me abriu o apetite. Obviamente nos minutos posteriores é-nos indicadas as missões seguintes e temos que seguir uma estrutura tradicional dum jogo open world onde avançamos na história aceitando missões de diferentes facções. Pena.

Embora seja um jogo que tenho em muito boa opinião, sei reconhecer os diversos problemas (alguns deles graves) que o impedem de ser tão bom quanto poderia ser. Mas isso não invalida que me tenha divertido com ele das duas vezes que joguei. A ver então se encontro o Far Cry 3 por aí bem baratinho😀

Positivo:
+ Atmosfera africana
+ Realismo e ambição
+ Motor de jogo

Negativo:
– Repetitivo
– Más decisões de design

Sai do templ… do PixelHunt com:

Comments
3 Responses to “Far Cry 2 [2008]”
  1. A minha experiência com o jogo foi a mesma. É muito divertido mas também repete-se muito. Fiquei um bocado surpreendido por encontrar muitos mas muitos mais bandidos na estrada do que animais (acho que sou capaz de ter visto 1 ou 2 no máximo xD).

    Por outro lado, apesar dos truques da IA, senti-me como o Mel Gibson em Braveheart a atacar campos de bandidos sem me verem uma única vez (pronto, a IA era um bocado barata mas enfim…) e a enganar grandes números deles.

    Acho que o que mais gostei do jogo foi, ironicamente, a perspectiva na primeira pessoa a conduzir, a usar ferramentas, relógios, mapas, etc. habituei-me muito bem ao ritual do “olhar para o mapa e conduzir até ao próximo campo” 😛

    Lembro-me de um dia estar a jogar à já umas 2 horas e pensar “bem, vou desligar o computador, mas antes vou só à garagem para trocar de armas antes de guardar o jogo”. Claro que, antes de chegar lá olhei para a direita e vi um novo barco, o que me levou a seguir o rio, o que me levou de encontro a um pequeno porto, o que me levou a disparar para os vários barris espalhados por lá, o que provocou o caos e me levou a uma troca de tiros que por sua vez me levou a sair do porto e a subir um caminho (sempre aos tiros) que me levou a uma enorme mansão, o que me levou a mais umas trocas de tiros e a, eventualmente, sair de lá com um novo jeep azul todo catita. Infelizmente, ainda tinha que ir buscar o barco lá abaixo, mas ao menos podia ir de jeep para lá.

    • Esse ultimo paragrafo é típico duma sessão de Far Cry 2 e uma das suas belezas. Numa das missões consistia em matar um tipo importante que se escondia numa barcaça. A forma mais fácil de o matar é aceitar a missão do nosso amigo e colocar uma bomba na ponte para que os destroços destruam a barcaça. Mas da primeira vez que joguei não sabia e tentei sem sucesso assaltar pela agua, claro que morria sempre. Depois de muito pensar decidi subir à ponte mesmo por cima e mandar uma única granada lá para baixo. Bullseye! Foi uma sensação tão boa!😀

      • Isto faz-me lembrar o GTA III e Vice City, que também deixavam a cargo do jogador como lidar com a missão (o San Andreas bloqueia mais os objectivos). É pena os jogos de acção de hoje em dia estarem tão focados nas missões que não nos deixam completá-las como quisermos. Vamos a ver se o Far Cry 3 é tão livre como os originais.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: