Conta-me como jogavas – Parte 3

contame3

< Conta-me como jogavas – Parte 2                                                                Conta-em como jogavas – Parte 4 >

Bem vindos à 3ª parte do Conta-me como jogavas, que se bem se recordam é uma viagem pelos jogos que me marcaram em infância antes de ter tido o meu primeiro PC. Nas duas primeiras partes foquei-me nos jogos que vinham de origem com a minha Famicom, vulgo “Family Game“. Como prometido as duas derradeiras partes serão centradas nos jogos em cartuchos que me compravam ou emprestavam. Alguns dos meus favoritos vinham precisamente nestes cartuchos, que só por si contam histórias maravilhosas. Quem nunca soprou para dentro dum quando a “cassete” não dava à primeira? No meu caso, no final da vida da consola, a entrada dos cartuchos estava com uma folga que me obrigava a usar sempre um pedaço de cartão para tornar a entrada mais apertada! Boas memórias!😀

—————————————————

 

Goal! Two [1992]

goal

Nostalgia overload!

O jogo que mais joguei na minha infância? Muito possivelmente. Já não me recordo bem do dia em que a minha mãe comprou Goal! Two, mas recordo-me e de que maneira das horas que passava a jogar isto, muitas delas com o meu pai. O jogo tinha muitas manhas que depois de descobertas era fácil marcar sempre golo, havia uma parte mesmo em frente à grande área (o ultimo traço na relva antes da meia lua) que era sempre golo se rematasse no momento certo, cruzamentos duma parte especifica do campo era sempre golo de bicicleta e por ai fora. Como jogava melhor que o meu pai, muitas vezes sofria golos propositadamente para lhe dar avanço e ser mais renhido, mas ficava fulo quando as coisas me corriam mal e não conseguia dar a volta😀

Cheguei ao ponto de fazer campeonatos em que associava o numero dos bonecos a jogadores reais da altura e deixava a IA jogar uma contra a outra para determinar resultados e assim fazer uma tabela classificativa. A paciência que eu tinha… Entretanto já para o final da vida da consola, emprestei o cartucho a um colega meu da altura (foi uma troca de jogos) e nunca mais o vi.

Infância estragada?

Não! Nada! Fiz um jogo e diverti-me imenso. De inicio tive dificuldades com os controlos no teclado, mas rapidamente relembrei-me de todas as suas particularidades e consegui empatar 4-4!😀 É claro que envelheceu bastante mal e é apenas por causa da nostalgia que me consegui divertir, mas ainda se joga bem. Mas a verdade é que hoje em dia não me interesso por jogos de futebol, o ultimo que joguei a sério foi o FIFA 2001, por isso não estou muito habituado ao que fazem actualmente.

Veredicto: Completamente ultrapassado, jogos de futebol em 2D não resultam numa visão isométrica.

play—————————————————

 

Formula One: Built to Win [1990]

built-to-win

Nostalgia Overload!

Um dos vários jogos que me foram emprestados e o que mais gostei desse grupo. Formula One: Built to Win curiosamente em nada está relacionado com a Formula 1 para além dum dos carros que dava para comprar (um Mclaren, possivelmente o MP4-5, com nome falso). Mas este era um jogo bastante curioso. O objectivo era percorrer os EUA fazendo corridas para ganhar dinheiro, com esse dinheiro podíamos melhorar os carros e comprar novos veículos. Se bem me recordo começávamos com um Mini Cooper, mais tarde dava para adquirir um Vector, um Ferrari F40 e o já referido Mclaren de formula 1. Mas no que guardo mais recordações era ir a Las Vegas no jogo, onde podíamos jogar nas slot machines para ganhar dinheiro! O meu pai muitas horas passou por lá😀

Infância Estragada?

Sim, um pouco. Os jogos de carros são os que pior envelheceram, simplesmente por causa das enormes limitações da altura e da perspectiva que tentava simular um efeito de profundidade que as consolas 8bit não conseguiam emular. A condução em si é muito pouco intuitiva porque os carros derrapam muito e não me dá jeito nenhum usar o travão por falta duma resposta imediata do carro. Mas há alguns aspectos positivos, os circuitos apresentam elevações, o que na altura era digno de nota, e a campanha é bastante boa com alguma profundidade. Mas passei mais tempo a recordar o casino😀

Veredicto: A condução está completamente ultrapassada, mas a campanha é interessante e resultaria num jogo arcade moderno.

play

—————————————————

 

Ferrari Grand Prix Challenge [1992]

ferrari

Nostalgia overload!

Já na altura era um fanático por F1, na verdade foi por esta altura que a minha paixão se iniciou (92/93) e foi uma alegria quando anos mais tarde me compraram um cartucho com um F1 na capa, neste caso o mítico Ferrari 641. Na altura o meu “ódio” pela marca do cavalinho ainda não era nada por aí além por isso não me importei muito😀 E ainda bem, porque Ferrari Grand Prix Challenge era bastante bom e um dos meus favoritos.

Algumas recordações: O maior rival do jogador era sempre um sujeito chamado Sessions ou algo do género, acho que era o nosso colega de equipa. No horizonte de cada circuito estavam alguns landmarks de cada pais o que dava um maior realismo à coisa😀 Os mapas dos circuitos eram surpreendentemente fieis à realidade e as corridas eram longas q.b. Como tinha muito tempo em puto, fazia longos campeonatos que duravam bastante tempo, felizmente tinha um sistema de password que eu religiosamente apontava num papel, o pior era quando perdia esse papel!

Ah outra curiosidade! No jogo Re-Volt de 1999 (outro grande jogo, também da Acclaim) onde controlávamos carros telecomandados, um dos circuitos atravessava uma loja de brinquedos, adivinham que jogo passava numa das televisões? Yep, precisamente este Ferrari Grand Prix Challenge!

Infância estragada?

Não! Adorei recordar isto! Acho que é o meu jogo favorito destes todos, fiz 5 corridas num campeonato e tive um orgasmo nostálgico. E olhem que o jogo é bom tendo em conta as limitações e bastante realista. Desde logo há uma qualificação, dá para ir às boxes, os pneus degradam-se, os rivais bloqueiam nas ultrapassagens e o carro tem uma aderência que torna tudo muito divertido e sem quaisquer frustrações. O jogador é obrigado a controlar o ritmo e saber esperar pela melhor altura de atacar e ultrapassar, um mimo!

Veredicto: À semelhança do Buil to Win está super ultrapassado, mas retrata o mundo da F1 com algum realismo.

play—————————————————

 

Mega Man [1987]

megaman

Nostalgia overload!

Um dos maiores clássicos dos 8bit. Honestamente já não me recordo bem como e quando o tive, se me emprestaram (que duvido) ou se vinha numa “cassete” com vários jogos. Tenho algumas recordações, especialmente dos sons e das lutas com os bosses. Do que me lembro cada boss tinha um poder tipo tesouras boomerangs, raios de gelo, umas bombas, electricidade… acho que também havia fogo… adiante, o interessante nisto é que depois de os derrotarmos ficávamos com o poder de cada um!

Infância estragada?

Acho que não… mas bolas este jogo é difícil! Tipo, muito! Nem consegui terminar o primeiro nível. A maior dificuldade está nos inimigos que vêm sempre de ângulos complicados de acertar e escapar. Mas o pior é que fazem respawn se voltarmos atrás, é injusto. A musica é muito, muito boa e recordava-a perfeitamente. Lembro-me que mais para a frente havia secções onde plataformas apareciam e desapareciam e voavam tiros de todos os lados, não faço ideia como eu passava aquilo!

Veredicto: Honestamente não gostei muito dos controlos, mas obviamente mantém-se actual senão a Capcom não andava sempre a lançar a mesma coisa vezes e vezes sem conta.

play—————————————————

 

Snoopy’s Silly Sports [1988]

snnopy

Nostalgia overload!

A primeira coisa que me lembro disto era a cor do cartucho! Em miúdo tinha uma regra sobre as cores dos cartuchos, normalmente havia três, amarelo, roxo e azul bebé. Na minha forma (estúpida) de pensar os roxos eram os jogos tipo… do caraças, os amarelos os bons e os azuis para crianças, e Snoopy’s Silly Sports era… precisamente azul bebé. Curiosamente lembro-me perfeitamente da loja onde o comprei (hoje em dia acho que é uma loja de roupa) e do momento! Não sei se tive dilemas de consciência em comprar um jogo para bebés, mas na altura se a minha mãe dizia que podia comprar um jogo, tinha de aproveitar a oportunidade e ia qualquer um😀

Infância Estragada?

Um pouco. O jogo é fraquito, especialmente os controlos que são atrozes e pouco intuitivos. Alguns dos desafios como a torre de pizzas e a corrida de sacos ainda escapam, mas outros tipo o salto à vara e o lançamento do martelo usam combinações de botões que não lembram ao diabo. Recordo-me que em puto não conseguia fazer o salto à vara e o mesmo se mantêm hoje em dia, não faço ideia que botões carregar.

Veredicto: Pois… nem sei bem que género é este, mas sim hoje em dia não teria qualquer relevância, ainda por cima com estes controlos.

play—————————————————

 

Mach Rider [1985]

machrider

Nostalgia overload!

Este era dos amarelos😀 Mach Rider vinha num cartucho com vários jogos (que apenas 2 ou 3 não eram repetidos, entre os quais penso que figurava o Mega Man). Era o “jogo das motas” muito ao estilo do posterior Road Rash. O ambiente era meio Mad Max e a violência era muita já que dava para dar tiros e empurrar os adversários contra obstáculos. Do que mais me recordo era a sua elevada dificuldade, a sensação de velocidade e o editor de pistas! Sim, editor de pistas. Lembro-me que passei bastante tempo a construir uma das estradas que passa na terra do meu pai, infelizmente in game ficava sempre uma porcaria😀

Outra recordação que tenho era a enorme dificuldade em por o cartucho a funcionar, eram necessárias muitas tentativas e muitas assopradelas para que finalmente se fizesse luz.

Infância Estragada?

Sim, um pouco. Não gostei muito do que vi para além da parte nostálgica. Surpreendentemente a forma como renderizaram a pista é a meu ver a melhor destes jogo de carros/motas da época, já que por vezes quase passa uma sensação 3D e de profundidade. A velocidade é completamente louca e torna-se quase impossível desviar de todos os obstáculos, especialmente em níveis mais avançados.

Veredicto: O mesmo que os outros jogos do género como o Built to Win e o Ferrari Grand Prix Challenge, em 2D com esta perspectiva não funciona.

play—————————————————

 

Termino por aqui esta primeira visita pelos meus jogos em cartuchos. Para a semana irei falar do resto, a maioria deles não tenho grandes recordações, muito porque parte deles eram emprestados e não joguei tanto. Bom mas isso fica para a semana, até lá um bem haja!

Comments
3 Responses to “Conta-me como jogavas – Parte 3”
  1. Álvaro diz:

    Daqui só joguei o Ferrari ou então era um muito parecido. De Football era o Italia90. Espectaculo!

  2. Álvaro diz:

    Então estou a fazer confusão. Joguei esse mas estava-me a referir a outro atrás. Tantos jogos de que já me esqueci o nome…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: