Cryostasis: Sleep of Reason [2009]

cryostasis

Um dos “fenómenos” mais interessantes desta geração são os jogos saídos do leste europeu. O antigo bloco de Varsóvia abriu-se e tornou-se numa força dentro da industria, pelo menos em termos criativos. A Polónia com a série The Witcher ou Hard Reset, a Russia com Pathologic ou The Void e a Ucrania com a série Metro, S.T.A.L.K.E.R. ou este Cryostasis.

Não é que sejam exemplos máximos de qualidade, mas acho que ninguém pode negar que são diferentes, originais e carregados de boas ideias, algo que como sabemos cada vez mais escasseia no ocidente. Os custos de produção naquelas bandas são muito mais baixos o que acaba por liberta-los mais, podendo assim dar azo à criatividade e apostar em novas e refrescantes ideias. Cryostasis é um perfeito exemplo disso mesmo, aliás ele quase que poderia ser o porta estandarte do típico jogo de leste.

E isto porque para além de ser um poço de boas ideias, é também uma confusão técnica. Embora o motor de jogo seja bastante impressionante, na medida em que consegue mostrar um resultado final bastante agradável, não é menos verdade que tudo isso vem com uma terrível optimização que o arrasta, qualquer que seja a configuração. Mesmo reduzindo consideravelmente as definições, é notório que é muito pesado. Faz lembrar aqueles Bentley antigos com uma cavalagem assombrosa mas que tinham de arrastar toneladas de aço. Mas verdade seja dita, é um jogo estável, só tive um crash mesmo no final e penso que tenha sido por sobreaquecimento da minha placa.

cryo

Mas o mais interessante de se falar são mesmo as boas ideias de Cryostasis, desde logo a sua mecânica central onde o protagonista pode reviver o passado e assim corrigir os erros da tripulação do quebra-gelo soviético onde decorre a acção. Ao voltarmos ao momentos imediatamente anteriores à morte dos tripulantes, é possível mudar o passado e consequentemente o presente. É um sistema que funciona bem, mas assenta em demasia numa espécie de sistema trial and error que por vezes obriga a repetir a mesma situação uma serie de vezes até perceber o que é para fazer. Outro sistema bastante interessante é o da de vida, que se baseia na ideia do calor. Como o navio está preso no árctico, o frio é o nosso maior inimigo, e para não morrer temos de encontrar fontes de calor. Mas Cryostasis está cheio de outras pequenas ideias e momentos bastante criativos, como a sala de cinema por exemplo.

Os gráficos são bastante bons para 2009, especialmente em alguns efeitos como a água e especialmente o gelo que reveste todo o navio e que, à volta de fontes de calor, derrete de forma bastante realista, é um efeito que acho que nunca vi, pelo menos não é habitual. Todo o gelo e efeitos do árctico dão um aspecto bastante único ao jogo e aos corredores do navio, no entanto, a meu ver o design dos níveis não é o melhor. Todos os cenários são demasiado semelhantes entre si o que retira algum do sentido de progressão, parece que estamos sempre nos mesmos corredores, o que é pena.

cryo2

O combate é um pouco lento e preso, mas acaba por ser realista se tivermos em conta as condições adversas que o protagonista enfrenta. Mas o que mais gostei neste aspecto são os encontros com os inimigos. Há uma grande ênfase no combate corpo a corpo e na maior parte das vezes só enfrentamos um inimigo de cada vez, quase como se fosse um duelo. Em tempos falei de como prefiro este tipo de abordagem, ou seja, reduzir o numero de inimigos mas torna-los mais especiais, levando a que cada duelo seja único e relativamente memorável. Cryostasis de certa forma faz um pouco isso e foi bastante refrescante (no pun intended) nesse aspecto. A história de modos que até é porreira, é verdade que é bastante simples e basicamente conta apenas como o navio ficou ali preso, mas é muito interessante ter as visões do passado e ver por diferentes perspectivas como as coisas aconteceram. E o final é bastante gratificante, se bem que o boss final é bem fraquinho e out of place.

Jogo interessante. Como um bom jogo de leste que é, merece ser experimentado, mas com cautela porque no meio de todas as boas ideias, a execução nem sempre é a melhor. Mas vendo bem, é mesmo esse o charme destes jogos. E em sete horinhas acabam isto por isso vale a pena arriscar.

Positivo:
+ Mecânicas inovadoras
+ Bons gráficos
+ Boa atmosfera

Negativo:
– Motor pesado e mal optimizado
Level design desinspirado

Sai do templ… do PixelHunt com:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: