Gabriel Knight: Sins of the Fathers – 20th Anniversary Edition [2014]

GK1

Remakes… Não sei bem porquê mas consigo-os aceitar melhor numa perspectiva de videojogo do que em cinema, talvez porque as limitações tecnológicas são muito mais preponderantes nos videojogos, ou talvez porque as visões artísticas têm um maior impacto em cinema… não sei. Mas nunca é fácil quando estamos perante o remake dum dos nossos jogos favoritos.

Pois é, Gabriel Knight: Sins of the Fathers teve direito a ser refeito, com a desculpa do seu vigésimo aniversário. Para mim, basicamente, é uma desculpa para voltar a viver um jogo que muito me diz, duma série que é porventura a minha favorita em videojogos. Inserido dentro da campanha que a Jane Jensen fez no kickstarter (a par do, segundo dizem, desapontante Moebius) muito honestamente foi uma completa surpresa que tenha sequer visto a luz do dia. Não sou cego e sei reconhecer que a marca Gabriel Knight já não é relevante nos dias de hoje, mas é muito engraçado vê-lo de novo aí na boca das pessoas, mais não seja para testar as águas para um hipotético 4º jogo.

1

Bom, mas deixem-me lá falar do jogo, na verdade não me vou alongar muito porque disse quase tudo na retrospectiva que escrevi à coisa de 4 anos, está lá tudo. Vou falar sim das diferenças, alterações e comparações entre o original e este remake.

Primeiro que tudo o que se manteve, felizmente, inalterado e portanto divinal. A história. Ela está lá toda e é tão boa como sempre! Soube tão bem recorda-la e ver como aguentou o teste do tempo. E isso é um testamento à forma como a narrativa está estruturada e à quantidade de pesquisa que a Jane Jensen fez em relação à temática do jogo. O seu aspecto quase episódico (cada dia é como se tratasse dum episódio) estava à frente do tempo e encaixa muito bem nos dias de hoje, já que é um sistema narrativo muito utilizado.

Uma alteração que infelizmente foi necessária e doeu um bocadinho, são as vozes. Sim, esta versão não tem Tim Curry, Mark Hamill e companhia porque as gravações originais foram gravadas numa qualidade que naturalmente nunca encaixariam bem nos dias dias de hoje. Mas tenho que admitir que os novos actores até se safam e quase todos tentam seguir mais ou menos as mesmas tonalidade e entoações das originais. Uma mudança para pior, mas que foi necessária e que poderia, no final das contas, ter resultado num desastre.

Outra que infelizmente não posso dizer o mesmo é a visual. Obviamente que os gráficos teriam de levar um facelift, especialmente em termos de resolução, mas o resultado final deixa um pouco a desejar. É certo que estão de facto numa resolução decente, mas o charme do original perdeu-se definitivamente em troca dum look tremendamente genérico e sem alma, muito inspirado por aqueles jogos de hidden objects típicos do facebook. É pena, e honestamente acho que havia espaço para fazer algo muito mais fiel à visão original, nem que fosse ao manter as mesmas tonalidade cromáticas e linha visual.

2

Como está, este remake é um produto um pouco esquizofrénico, perdido entre dois caminhos, o original da Sierra e o novo da Pinkerton Road/Phoenix Studios. É fácil ver qual dos dois estúdios é mais talentoso, todos sabemos que a Phoenix Studios embora sejam esforçados, não transbordam talento. Há falhas que surgem em todos os seus jogos e que regressam aqui, falo em especial das terríveis animações que quebram por completo qualquer sentimento de imersão, o que é uma pena.

Como remake acho que posso dizer que o resultado final é… aceitável, contudo não é menos verdade que joga tão pelo seguro que de certa forma não consegue fazer jus ao que Gabriel Knight representou na altura e, honestamente, acho que o nível de qualidade e valores de produção deveriam ter sido bem maiores. De qualquer das formas é um cartão de apresentação às novas gerações que já não conseguem suportar as baixas resoluções e as carradas de verbos dos clássicos da altura. Só é pena que não consigam experienciar o mesmo nível de admiração do original.

Positivo:
+ Maravilhosa história.
+ Excelentes personagens.
+ Ambiente.

Negativo:
– Perdeu o charme do original.
– Alteração da direcção artística.
Look barato.
– Novo voice acting.

Tempo de Jogo: 13 Horas
Completo: 100%

Sai do templ… do PixelHunt com:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: