Under the Skin – Debaixo da Pele [2013]

Poster-art-for-Under-the-Skin_event_main

Quase a acabar esta maratona com um filme que tinha algumas expectativas, o trailer era bom e a premissa também. Um extraterrestre “mascara-se” de mulher sedutora e parte à caça de homens. Portanto, um remake de Spieces.😀

Até tem algumas semelhanças superficiais, mas Under the Skin é um “monstro” completamente diferente. Fiquem já avisados que é um artsy film, daqueles um bocadinho pretensiosos, mas, muito honestamente, tem qualidade para se apresentar assim.

Não foi, de longe, o que estava a espera, mesmo sabendo mais ou menos ao que ia, é tremendamente lento e introspectivo e encarrilha na sua quase totalidade numa repetição que irá afastar os mais impacientes. Mas é uma repetição necessária, é necessária para mostrar a rotina predatória da Scarlett Johanson (em bom nível, muito contida e fria, como o filme) que busca homens solitários para, não só para lhes tirar a pele, mas também para interagir com uma espécie que, com o passar do tempo, vai criando uma genuína curiosidade.

Mas o melhor de Under the Skin (para além do twist surreal que dá à típica história da visita extraterrestre) é a sua atmosfera. E que atmosfera! Que ambiente! É do melhor que já vi. É desconfortável, solitário, opressivo… quase tombando mais para o terror psicológico. É quase palpável a opressão do ambiente rural escocês e do extremo realismo de todo o filme, quase documental. Li que algumas cenas foram filmadas, câmara oculta, nas ruas, mostrando reacções genuínas de transeuntes. E acredito que sim. Mesmo os actores que se cruzam no caminho da protagonista são amadores, o que ajuda a transmitir esse realismo. E é nesses encontros, nesses jogos predatórios da alienígena que a tensão atinge o zénite, alguns desses momentos são dos pontos altos do filme, em especial o encontro com o rapaz desfigurado.

Sim, é lento. Até demais, contudo é apenas 1h40 de filme e mal uma pessoa entra dentro daquela atmosfera (o que pode ser difícil, admito), abrilhantada por uma fotografia impecável, o tempo passa rápido.

Bom filme, gostei e recomendo, mas à cautela, porque não é um filme que procura o espectador. À semelhança da rotina da Scarlett quando aprisiona as suas vítimas, Under the Skin provoca o espectador e obriga-o a seguir atrás de si enquanto se despe, numa busca fútil e destinada ao vazio do nada, um estranho vazio que ficou em mim depois do final.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: