Diário Pixelizado: Europa Universalis IV – Semana 1

diario

Bom dia camaradas! Acho que é altura de mais um Diário Pixelizado, desta vez do meu GOTY 2013, falo, é claro, de Europa Universalis IV.

É verdade que já fiz um do Europa Universalis III, no entanto, para mudar um pouco as coisas e para não parecer uma repetição do que fiz na altura com Veneza, decidi fazer isto duma forma um pouco diferente. Vou usar um estilo mais dramatizado e narrativo, já que questões técnicas abordei no diário do Europa III. E até acaba por ser uma preparação para o que quero fazer futuramente com o Crusader Kings II.

Decidi começar com um pequeno país onde a sobrevivência é muito complicada, portanto vejam isto como um… survival mode. Será jogado no modo iron man que, para quem não sabe, não permite batotas nem carregar saves de segurança, logo se fizer más escolhas terei de aguentar com as consequências. O país escolhido é a Moreia, na Grécia e o grande desafio será sobreviver aos Otomanos.

Pois bem, antes de mais é pertinente conhecer a história do pais em questão. O Reino, ou também chamado Despotado da Moreia foi um dos últimos vestígios do império Bizantino, após a queda de Constantinopla para os Otomanos em 1453. O que restava de Bizâncio mudou-se para a pequena província da Moreia no Peloponeso e aí formaram o Reino da Moreia.

Portanto o objectivo é reconquistar o passado glorioso de Bizâncio e reclamar Constantinopla, certo? Errado. As minhas orientações e objectivos não se centrarão na herança Bizantina, mas na Grécia da antiguidade. O meu objectivo será juntar todos os povos de passado helénico debaixo duma só bandeira, a Grega. Se possível num estado Republicano ortodoxo. Ah mas a Grécia antiga era politeísta, porque queres ser um bastião ortodoxo? Estes são tempos diferentes, medievais. As questões religiosas são centrais e fulcrais, portanto terei que fazer certas cedências. Prefiro ter unidade religiosa e estabilidade, por arrasto tentarei fazer desta Grécia um farol de esperança para todos os ortodoxos gregos espalhados por essa Europa fora.

Antes de começar vamos só dar uma vista de olhos no mapa e na diplomacia da Europa da altura.

2015-02-28_00001

Moreia está encaixada no meio de rivais, mais precisamente o Império Otomano, Veneza e a Acaia. Aliados temos apenas o ducado de Atenas que é também um vassalo, o que é bom. Vamos ser sinceros, é quase uma questão de tempo até sermos engolidos pelos Otomanos, portanto teremos de ser muito cuidadosos no campo diplomático. Veneza tem diversas possessões na zona e a sua influência espalha-se também por alguns estados vassalos como Naxos no mar Egeu. Acaia é o nosso rival natural no Peloponeso.

E qual é então o meu plano? Acima de tudo, sobreviver. Vamos ver quantos anos Moreia consegue manter-se independente. Historicamente foi anexada pelos Otomanos em 1460, portanto já seria bom passar essa data. Partindo do pressuposto que sobrevivo, terei que ser o mais realista possível, nunca conseguirei aguentar os Otomanos em terra caso chegue a esse ponto. Por mais valorosos que os meus homens sejam, nunca terão possibilidades de parar o comboio turco, portanto vou apostar em força no… mar.

A curto/médio prazo a ideia que tenho é formar uma frota o mais forte possível que me possibilite mover pelo mediterrâneo. A minha ideia seria conquistar alguma das ilhas do mediterrâneo e caso a minha capital caia, usar a minha frota para proteger a minha soberania nessa ilha. Portanto, a mais elementar das sobrevivências.

Vamos então, partir à aventura!

Untitled-5

Semana 1

 Δεσποτᾶτον τοῦ Μορέως (Despotado da Moreia)

coa

1453

Aleko Collias – conselheiro do rei

O rei Demétrios II da dinastia dos Palaiologos nunca primou pela inteligência. Na verdade nunca primou em grande coisa. É um rei fraco que sem acompanhamento levará o reino à extinção. É portanto imperial que eu, o seu conselheiro, o ajude o melhor que puder. Se o nosso reino sobreviver nos próximos tempos, ele só terá quaisquer possibilidades de prosperar quando esta amostra de rei finalmente desocupe o trono.

Rezo todos os dias para que o seu descendente seja o completo oposto deste fantoche, mas, como é óbvio, a vida na Moreia nunca é fácil, o que significa que Demétrios II actualmente não tem descendência directa. A sua única filha, Helena Palaiologina tem um problema que a retira do trono no futuro: é mulher.

Muitas vezes tentei discutir com o rei a possibilidade de tornar a sucessão aberta a mulheres, mas ele por várias vezes respondeu-me “Nunca houve uma imperatriz Romana nem Bizantina, não será agora que haverá”. Idiota, louvado seja.

Na nossa reunião de hoje apenas um tema veio à mesa, os Otomanos e como os poderemos parar. Isto nas palavras do rei, eu prefiro usar a palavra sobreviver.

– Alteza, dos nossos espiões em Constantinopla chegaram noticias preocupantes. A força total dos exércitos turcos chega aos 30.000 homens…
– Quantos homens temos? – questionou o senil rei.
– … 3.000 alteza.
– Oh… mas cada bizantino vale por 10 infiéis! Marcharemos em Constantinopla em breve!

Estamos perdidos… por sorte este rei também é fraco na altura de decidir, ou seja, não decide e deixa essa responsabilidade para outros, em especial os seus conselheiros, portanto eu. Como tal, apresentei a Demétrios II uma série de medidas e linhas gerais do que serão os objectivos do reino da Moreia no futuro, as quais, admito, não lhas revelei na totalidade. Linha geral, essas medidas passam por:

– Extinção da filosofia e modo de pensar Bizantino. Moreia é Grega e deve ser a Grécia o nosso modelo, em especial a grega helénica da antiguidade. Obviamente decidi omitir este ponto ao Rei.
– Uma aposta forte e assumida na nossa força naval para que possamos nos libertar do beco em que estamos. Reformulação do nosso exercito terrestre para o que realmente é, uma força de contenção. Assim decidi renomear a nossa frota e exercito à imagem dos antigos lideres da Grécia antiga. Frota Themistocliana (general vitorioso na batalha naval de Salamis) e Exército Alexandrino (Alexandre não precisa de apresentações).
– Estabelecimento de relações diplomáticas com Mahmet II dos otomanos e o Doge Veneziano.
– Estabilizar as nossas finanças através da redução da manutenção militar e do envio dum mercador para o mercado de Alexandria e Ragusa.

Despedi-me de Demétrios II com a esperança que o que ele melhor sabe fazer, nada, se mantenha. Prefiro um mau rei que nada faça, que um mau que tudo quer fazer.

2015-02-28_00003     2015-02-28_00002    À esquerda: Rei e tipo de governo da Moreia.. À direita: Visão geral do Peloponeso em 1453

2015-02-28_00005     2015-02-28_00004À esquerda: Comparação dos exércitos em 1453. À direita: E das frotas.

1454

Melantho Nicolaidis – senhor da moeda

Nova reunião entre o rei e os seus conselheiros. Comigo estiveram reunidos, Aleko Collias, Alexis Petros responsável pela diplomacia, e o rei, claro. O ano começou relativamente bem. O reino já começa a colher alguns frutos das medidas tomadas pelo novo conselheiro, Aleko Collias, no ano passado. Em termos financeiros estamos melhores que no ano transacto com mais de o dobro dos lucros mensais, actualmente fazemos meio ducado por mês, o que dá 6 ducados anuais. É pouco, muito pouco, mas somos um pais pobre, não há muito a fazer.

Em termos militares já sinto um maior espírito grego nos homens, o que é bom. há que criar um verdadeiro espírito nacionalista. Cinco barcos estão actualmente em construção para se juntarem aos nossos míseros … dois.

Diplomaticamente as coisas não vão bem, o que é o meu maior receio. Os nossos contactos diplomáticos com os Otomanos estão a melhorar as relações, mas recebemos um ultimato turco para que não entremos em nenhuma guerra. Se assim o fizermos seremos destruídos… O ultimato é valido durante 10 anos.

2015-02-28_00006     2015-02-28_00007À esquerda: As finanças estão a começar a melhorar. À direita: Ultimato Turco.

1456

Aleko Collias – conselheiro do rei

Dois anos volvido e ainda estamos vivos! O que não é mau.

As nossas frágeis relações com os turcos atingiram o melhor dos últimos tempos. É triste, mas o nosso grande plano passa por agradar aos turcos para que eles não sintam a necessidade de nos esmagar. E esmagar é o que nos farão, actualmente estão em guerra com os albaneses, sérvios e húngaros. Rezo todas as noites para que saiam fragilizados do conflito, mas infelizmente já conseguiram quebrar as linhas defensivas dos reinos cristãos.

Na minha busca por melhores pastagens decidi ver em que estado estão as ilhas do mediterrâneo. O meu objectivos seria convencer o rei a invadir uma destas ilhas para fugir aos turcos, mas para isso primeiro preciso duma marinha forte…

Creta é uma possessão Veneziana. Não dá. Rodes é um estado independente defendido por apenas 2.000 homens, mas está sobre protecção veneziana. Não dá. Chipre é independente e protegido por 3.000, mas sobre protecção dos Mamelucos do Egipto. Não dá. Malta é possessão do reno de Aragão. Não dá. A bem da verdade não iria entrar em guerra, por causa do ultimato turco, portanto… não é fácil.

Ontem recebi a visita do nosso mercador actualmente destacado em Alexandria. Os seus relatórios são positivos, ao todo e anualmente, os nossos mercadores estão a fazer um bom trabalho com lucros de 2 ducados por ano.

2015-02-28_00008     2015-02-28_00009À esquerda: Os otomanos esmagam nos Balcãs.. À direita: As nossas relações com os Turcos atingem um máximo histórico.

2015-02-28_00010     2015-02-28_00011À esquerda: O trabalho dos nosso mercadores. À direita: Situação de algumas das ilhas do mediterrâneo.

1458

Aleko Collias – conselheiro do rei

– Meu Senhor! – Alexis Petros, responsável diplomático do Rei parecia transtornado – mensagem urgente para sua alteza!
– Caro Alexis, tem calma, fala, passarei a mensagem ao Rei – mentiu Aleko Collias.
– Senhor… noticias da Europa… os turcos – engoliu em seco – os turcos esmagaram a Hungria!
– Era expectável… obrigado Alexis.
– Senhor… há mais… a Áustria dividiu-se em duas, a Ístria declarou independência – o seu ar era abatido.

Despedi-me de Alexei com mil pensamentos na cabeça. A derrota Húngara significa que os Otomanos estão agora no centro da Europa, para além de terem conquistado grande parte do território Magiar, anexaram também a Valáquia e vassalizaram a Moldávia. Como um mal nunca vem só, a Áustria, que seria a nossa esperança para resistir ao avanço Otomano, ficou fragilizada com a independência de Ístria.

São tempos muito complicados que deitam por terra as boas noticias da manhã. A Frota Themistocliana conta agora com 8 navios.

2015-02-28_00013     2015-02-28_00014À esquerda: A Ístria declara independência da Áustria. À direita: O Império otomano esmaga a Hungria.

1460

Alexis Petros – Responsavel diplomático do rei

O Império Otomano está agora assente de pedra e cal na Europa. Temo que as suas atenções se virem de uma vez por todas para a Grécia. Os nossos diplomatas trabalham incessacemente em Constantinopla para manter boas relações com o sultão. No entanto temo que enquanto este rei, um vestigio Bizantino, se mantenha no trono seja muito dificil fazer melhor.

Relatos dos nossos espiões revelam que uma série de revoltas populares estão a incendiar as provincias gregas na Acaia e no império otomano. É a prova que o espirito nacionalista grego está presente no coração dos gregos… ou então têm é fome…

Mais más notocias diplomáticas. Naxos, territorio grego do mar de Egeu, foi anexado por Veneza… portanto a republica veneziana está precisamente no nosso quintal. Moreia está cada vez mais espartilhada entre Otomanos e Venezianos.

2015-02-28_00018     2015-02-28_00020À esquerda: Revoltas gregas no Império Otomano. À direita: E na Acaia.

1461

Demetrios II olhava o mar através da janela do seu quarto. O mediterraneo estava particularmente calmo nessa tarde. O Rei, fragilizado por uma doença respiratoria perdia-se nos seus pensamentos, pensamentos esses que o transportavam para as ruas de Constantinopla onde, ao som de milhares de apoiantes, regressava para instaurar o Império Bizantino e a velha glória Romana.

O transe a que estava submetido foi quebrado pelo subito barulho da larga porta a abrir. O seu fiel conselheiro, Aleko Collias, trazia um semblante pesado, provavelmente era portador de mais más noticias, na verdade ele já não se lembrava da ultima vez que recebera boas noticias.

– O governo da Acaia desmoronou-se com a morte do seu Rei – informou o seu conselheiro – Acaia é agora governada pela casa dos Lazarevic, de Montenegro.

– Nem gregos são… até os Eslavos já mandam nos gregos – O rei estava abatido – Que recomenda fazer?

– Temos de responder à altura vossa excelencia. Temos de mostrar que na Grécia mandam os gregos. Aconselho iniciar-mos negociações com Atenas para anexação diplomática. O processo demorará cerca de 2 anos, mas será um sinal de que estamos aqui!

O velho e cansado rei anuiu em concordancia ao seu conselheiro. Como sempre fazia.

2015-02-28_00022     2015-02-28_00023À esquerda: A casa real da Acaia cai. À direita: Sendo agora governada pela casa Lazarevic.

1463

Aleko Collias – conselheiro do rei

Por menos que Demetrios II tente ignorar, a questão dinástica tem de ser abordada. Na semana passada a sua filha, Helena Paliogelina foi mãe. A sua gravidez esteve envolta em polémica porque o seu marido está há meses fora da Moreia. A questão da paternalidade desta criança é o tema favorito das conversas de todos nas tabernas da cidade. Pode ser uma criança polémica mas não nos podemos dar ao luxo de não a usar para nossa vantagem, foi com essa ideia que propus ao Rei e à princesa uma ideia necessária.

Ofereci-me como tutor da criança e do futuro rei, é a unica certeza que tenho de que s transformará num futuro rei competente. Este facto levou a que Theodoro, futuro rei, ganhasse a alcunha de rei adoptado por entre a opinião publica. É uma futuro rei impopular e com pouca legitimidade, mas eu sigo a ideia de que um bom rei vê-se nas suas acções, portanto treina-lo-ei o melhor que conseguir e acima de tudo ensinar-lhe-ei a seguir os ideais gregos e a ser grego.

2015-02-28_00028

Finalmente um herdeiro!

1464

Tassos Nicolas – Almirante do exército real da Moreia

A população no ducado de Atenas está descontente, e pede independência do estado repressivo em que vive. Embora Atenas seja nosso vassalo, é também um vestigio do passado, um vestigio dos antigos reinos latinos e de Veneza. Os atenienses querem um soberano grego, o que vai de encontro com os nossos caminhos ideológicos.

O rei (ou deverei dizer Aleko Collias?) decidiu dar inicio formal ao processo de anexação. Será um processo lento, mas tenho a certeza que será bem aceite pelos atenienses. Inicialmente terão um certo grau de autonomismo, mas estou convencido que eventualmente aceitem de bom grado a junção com Moreia, até porque, é desejo do rei, de futuro mover a capital do reino para Atenas. Só não o faremos a curto prazo porque estaríamos demasiado expostos a um ataque Otomano.

Por falar neles, espero que a anexação de Atenas não vá perturbar as frageis relações existentes.

2015-02-28_00029

Atenienses procuram um novo governo de ideologia grega.

1466

Aleko Collias – conselheiro do rei

Atenas foi formalmente anexada hoje pela graça de Deus! O nosso sonho duma Grécia unida começa a ganhar forma, espero eu. O enviado otomano não ficou muito contente, mas não pareceu muito preocupado. Pelo contrário o emissário do novo rei da Acaia é que se mostrou… bastante aberto com a anexação? É estranho. Verão eles com bons olhos um estado Grego? Haverá alguma cisão entre a união entre Acaia e Montenegro, não vejo a união pessoal dos dois reinos durar muito tempo.

A verdade é que estamos completamente isolado no plano diplomático. Não temos aliados, nem sequer estados amigos, consequências naturais do nosso passado bizantino, o que é preocupante. Terei de falar com o corpo diplomático amanhã pela manhã.

Fui assaltado a meio da noite por uma sonora comoção no corredor. Tsipras, o camareiro do rei bateu à porta do meu quarto, o seu semblante era carregado, o seu olhar vazio.

– Meu senhor… o rei, o rei faleceu há minutos!

Tentei disfarçar o melhor que pude o alivio que senti. O rei era fraco e ele era a razão principal pelo estagnamento do reino e o isolamento diplomático. No entanto surge um problema, Theodoros tem apenas 3 anos, portanto terá de se criar uma regência, uma que liderarei de bom grado. Farei o melhor que posso para criar um estado estável para o nosso futuro rei que, graças a Deus, está a crescer de boa saúde.

2015-02-28_00031    2015-02-28_00035À esquerda: Atenas é anexada. À direita: O Rei morreu! Viva o novo Rei!

1469

 Tassos Nicolas – Almirante do exército real da Moreia

Problemas. Como é fácil de imaginar, problemas otomanos. Têm-se visto constantemente movimentações turcas na fronteira de Atenas, o que é muito intimidador. No entanto essa acaba por ser uma questão secundária, porque os relatos que chegam dos nossos espiões é deveras preocupante. A marinha Otomana é colossal, a maior do mundo. O plano de Aleko Collias de construir uma marinha forte para fugir do perigo turco está praticamente esfumada, não teremos quaisquer possibilidades de fazer qualquer mossa no mar.

No entanto estamos de certa forma de mãos atadas e o melhor a fazer é pensar a longo prazo. Só uma economia forte pode-nos dar qualquer esperança para no futuro sermos uma força relevante. Foi combinado em assembleia adoptar uma série de ideia económicas que nos ajudarão a crescer a longo prazo.

2015-02-28_00037     2015-02-28_00039À esquerda: Movimentações turcas junto à fronteira. À direita: A força colossal da marinha otomana.

1471

Alexis Petros – Responsável diplomático do Rei

A decisão de estabelecer relações diplomáticas com forças europeias tem dado alguns bons resultados. Hungria, Nápoles e Aragão são amigos da Moreia se é que assim podemos dizer. A Europa é um lago de tubarões e interesses e quem se esquece disso normalmente é comido primeiro.

Hoje vi o pequeno Theodoros e o seu irmão mais novo a brincar nos salões do palácio. Tenho as mais sinceras esperanças de que venha a tornar-se um bom rei, pelo menos o seu tutor é de primeira classe. Aleko Collias é um homem com H grande, desde que foi nomeado para conselheiro do defunto Demetrios II que o nosso reino começou a prosperar.

Por falar em Aleko Collias (que na prática é o nosso rei) terei de lhe recordar que o ultimato Otomano irá terminar daqui a três anos. Teremos de ver o que fazer quando o prazo estipulado pelo sultão Mehmet II terminar.

theodoros

Futuro Rei Theodoros e o seu irmão brincam nos salões do palácio.

1474

Melantho Nicolaidis – Senhor da moeda

Tragédia nas ruas de Atenas, o que vi hoje nos hospitais apertou-me o coração. A epidemia de influenza, ou gripe, tem-se vindo a espalhar e atingiu uma situação critica tal que elevou a taxa de mortalidade para valores preocupantes. Lá fora tenho de me mostrar preocupado com as vitimas desta epidemia, mas obviamente a minha preocupação está nos nossos cofres. Este ano não tivemos lucros anuais, o que me deixa seriamente preocupado com o futuro do reino. Ou esta epidemia é ultrapassada rapidamente ou algo pior se adivinha.

Como um mal nunca vem só, soube hoje de Aleko Collias que os otomanos renovaram o ultimato sobre nós. Estamos de mãos atadas, sem possibilidades de crescer rumo a novas pastagens… e novos lucros.


2015-03-01_00001     2015-03-01_00003À esquerda: Uma epidemia de gripe. À direita: Estraga as nossas finanças.

1475

Melantho Nicolaidis – Senhor da moeda

Algumas boas noticias em termos financeiros. Após a instauração duma maior burocracia, a taxação no reino foi aumentada por 10% o que deu um aumento de 1 ducado por ano. Pode parecer pouco, mas a longo prazo fará diferença, ainda por cima agora que a epidemia de influenza já foi definitivamente ultrapassada. Portanto, moeda, moeda e mais moeda. Sou um homem feliz.

Hoje teremos uma nova assembleia com Alexis Petros, Tassos Nicolas e Aleko Collias para discutir o avanço imparável dos turcos na Anatolia. Nem quero imaginar o dinheiro que eles estarão a fazer… precisamos mesmo duma guerra…

2015-03-01_00005     2015-03-01_00006À esquerda: Um sistema mais burocrático aumenta as nossas finanças.. À direita: O rolo compressor otomano.

Semana 1Semana 2

Untitled-6

Dou assim por encerrada a primeira semana desta aventura grega. Voltarei para a semana! Um bem haja e até logo!

Comments
One Response to “Diário Pixelizado: Europa Universalis IV – Semana 1”
  1. Anónimo diz:

    Sigo o teu Blog desde a altura que fizeste um Diario para o Europa Universalis III (vi um link para aqui no forum da Zwame) e confesso que gosto muito da tua forma de escrever por isso é que de tempos a tempos venho ver o que tens de novo…
    Queria te sugerir um jogo que é gratuito, extremamente viciante e pode ser ou não online…
    http:/pt.lichess.org

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: