The Terminator – Exterminador Implacável [1984]

1984-the-terminator-poster1

A nova sequela da série Terminator já anda por aí, portanto nada melhor do que rever onde tudo começou. Mas vê-lo a sério, na sala de cinema.

É verdade, tive a oportunidade de rever The Terminator numa sala de cinema graças aos cinema UCI, e que bom que foi. Há algo de mágico poder ver clássicos numa sala de cinema, de certa forma é a única forma de recuperar aquele nervoso miudinho e aquela sensação de ida ao cinema que hoje em dia já há muito que perdi. Foi a mesma sensação que tive ao rever 2001: A Space Odyssey, Blade Runner, Bram Stocker’s Dracula, O Couraçado Potemkin ou Alien também no cinema. Não sei, há algo de grandioso nisto.

Bom, mas The Terminator. É fácil dizer que envelheceu mal, especialmente no campo técnico e visual, e de certa forma é verdade, The Terminator é tão anos 80 que às vezes até parece uma paródia moderna à década ou um parque temático dedicado a todos os clichés inerentes à cultura popular da época. Punks de crista? Check. Permanentes? Check. Roupas coloridas? Check. Walkman? Check. Música com sintetizadores? Check. Ruas apinhadas de lixo e vagabundos? Check. E podia continuar.

Contudo, se quisermos distorcer as coisas é também correcto afirmar que The Terminator é de certa forma actual. O revivalismo dos anos 80 é tão alto hoje em dia, que toda esta extravagância se torna… actual e cool. É um bom exemplo do aspecto cíclico das modas e da cultura popular.

De qualquer das formas, na sua raiz, The Terminator é intemporal porque James Cameron foi inteligente o suficiente para lhe dar bases centradas em dois géneros sólidos: O terror e a ficção cientifica. Do terror é fácil ver os elementos saídos dos slasher movies que na altura estavam no auge. O T-800 é um Michael Myers mecânico, imparável, sem escrúpulos nem sentimentos. Da ficção cientifica, Cameron usou a premissa de viagens temporais que obriga o espectador a colocar questões e a discutir paradoxos e filosofia durante anos e anos. E é esta junção entre o mais primário (o medo de algo puramente malévolo) e complexo (a necessidade de compreender e discutir teorias) que tornam The Terminator o clássico intemporal que é.

Mas, como o mundo não é perfeito, saiu uma nova sequela e já a vi! Um dias destes escrevo qualquer coisa.

[https://www.youtube.com/watch?v=c4Jo8QoOTQ4]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: