Batman: Arkham Knight [2015]

BAK

Como já deverão saber, sou um fã da série Arkham, desde o original Arkham Asylum que posso dizer que esta se tornou numa das minhas séries favoritas dos últimos tempo, e sim, também gostei do mal amado Batman: Arkham Origins.

A verdade é que, mesmo não sendo particularmente fã do Batman em si e das suas aventuras (de qualquer das formas, acho que é o meu super-herói favorito) o gameplay e as mecânicas da série são tão sólidas e gratificantes que, a cada incursão, fico sempre rendido, mesmo que as coisas, agora no quarto jogo, se tenham mantido mais ou menos na mesma. Acho que é um testamento à sua qualidade. As coisas nasceram bem, portanto não há necessidade de mexer muita coisa.

De qualquer das formas, estagnação deve ser sempre evitada, tem de haver algum chamariz, algo novo que nos seduza a voltar de novo à mesmíssima cidade de sempre e combater os mesmo vilões que todos conhecemos. Arkham Knight passa toda a sua duração num complicado limbo entre essa dualidade. Tenta introduzir novos elementos como, por exemplo, o Batmobile, no entanto e invariavelmente os seus grandes chamarizes são e continuam a ser os mesmo de Arkham Asylum e Arkham City.

arkham-knight1

Vocês sabem que não tenho pachorra para estar sempre a falar de cenas técnicas e mecânicas, por isso, para quem não conhece como a série se joga e a minha opinião dela, por favor vão ler o que escrevi nos anteriores jogos. É a mesma coisa. Prefiro focar-me nas particularidades deste novo jogo.

Batman: Arkham Asylum    |    Batman: Arkham City    |    Batman: Arkham Origins

Vá… vamos falar do elefante na sala. É impossível não mencionar o descalabro que foi o lançamento no PC, especialmente por causa da má optimização que obrigou a Warner Brothers a chegar ao cumulo (e vergonha) de retirar o jogo do mercado durante um par de meses para resolver os problemas. Mais embaraçoso ainda, foi o facto de, no relançamento, vir praticamente na mesma. Não costumo colocar problemas técnicos à frente do jogo em si e não o farei aqui, mas é uma situação que acaba por afectar a experiência em si, porque a performance e estabilidade é tudo menos satisfatória. É claro que o meu PC está longe dos dias de gloria e fui com a perfeita noção de que iria ter problemas, mas a forma como a performance era afectada era… tão aleatória (tirando as partes do Batmobile que eram SEMPRE um martírio de fluidez) que é impossível não culpar essa falta de optimização.

Bom, mas nas consolas este é um problema que não se coloca, portanto não acho justo colocar demasiada ênfase neste aspecto. O que acaba por salvar Arkham Knight é… ser um bom jogo. É um bom jogo com excelentes mecânicas e uma história competente, que só peca pela barragem de twists e clichés que chegado um ponto já não surpreendiam. De qualquer das formas a escrita é boa, o voice acting melhor e o desfecho é genuinamente bom, fechando com chave de ouro e de forma lógica a trilogia da Rocksteady.

Muito se falou do Batmobile, e do quão mau era e da forma como o jogador é obrigado a usa-lo mas, muito honestamente não desgostei nem achei que estivesse mal implementado. É uma nova mecânica, e é competente, mas a bem da verdade só o usava mesmo quando era obrigado (é que a performance dentro do Batmobile é… terrível).

arkham-knight2

O mundo de jogo mantém-se aberto como o Arkham City, mas mais focado e menos anárquico (um pouco mais na linha do Arkham Origins) optando por dar ao jogador uma série de diferentes objectivos que pode escolher, ao seu ritmo, como abordar. Acho que prefiro assim do que andar a tropeçar sem saber bem onde, como no anterior jogo da Rocksteady. Claro que alguns desses objectivos, como os enigmas do Riddler, é trabalhinho para chinês, santa paciência.

Bom, tanto paleio e não vou ao que realmente interessa. É bom? É melhor que os anteriores? Sim e talvez…? A primeira pergunta é fácil de responder, Arkham Knight é um bom jogo, suportado por uma base extremamente sólida. Agora à segunda questão… até pode ser melhor, mas é difícil pô-lo em perspectiva com os anteriores jogos, exactamente pelo facto de ser tão semelhante ao que Arkham Asyklum e Arkham City fizeram no passado, de tal forma que se torna complicado não o ver como um produto menor.

De qualquer das formas, aconselho, como é óbvio. Gostei e é um bom desfecho. Comprem mas é para as consolas.

Positivo:
+ Fantástica jogabilidade como é apanágio da série.
+ Em termos narrativos encerra com chave de ouro a série.
Voice acting, especialmente do Mark Hamill, damn.

Negativo:
– Um leve aroma a mofo estagnado.
– Não entendo a politica e falta de qualidade/preço dos DLC’s.
– Terrivel performanceeeeeee..

Tempo de Jogo: 30 Horas

Sai do templ… do PixelHunt com:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: