Das Testament des Dr. Mabuse – O Testamento do Dr. Mabuse [1933]

d782fc8af2983e83bf8f78f5c568ed6b96de4ec7

Damos inicio à 7ª Maratona Terror com um clássico de Fritz Lang que embora não sendo puro terror, tem alguns elementos que o podem inserir no género. Vejam-no acima de tudo como um thriller policial bem ao estilo do anterior filme do alemão, de que vos falei numa das anteriores maratonas, M.

Das Testament des Dr. Mabuse tem inúmeras semelhanças com M, não só no seu ambiente e setting (Berlim da época da Republica de Weimar que muito me fascina) mas também nas temáticas, na representação do submundo do crime alemão da época e até nalgumas personagens como o brilhante inspector Lohmann. Onde Das Testament des Dr. Mabuse se afasta de M é no seu vilão que dá nome ao filme. Dr. Mabuse é um génio louco que tem a capacidade, mesmo depois de morto, de se apoderar da mente de outras pessoas e assim levar a cabo os seus planos anárquicos de destruição.giphy

É fácil criar paralelismos entre esses planos de caos com a emergente subida ao poder na altura do NSDAP de Hitler que venceria as eleições nesse mesmo ano e viria a proibir o filme. Dr. Mabuse é uma personificação do caos (viria a ser uma inspiração para o Joker de Nolan) e só o excêntrico inspector Lohmann (que viria a ser um modelo para o típico template do policia carismático que não olha a meios, tipo o Gene Hunt de Life on Mars e Ashes to Ashes) que é a personificação da lei e do estado pode parar o génio do crime através do poder da dedução.

Só soube agora que esta é uma sequela dum outro filme de Lang, Dr. Mabuse, der Spielerse soubesse até o teria escolhido para a maratona, mas honestamente não se nota a ausência da prequela, este é um filme que funciona bem sozinho. Achei-o honestamete um pouco longo de mais para o seu bem, ele perde bastantes vezes o seu ritmo e tem algumas dificuldades em recupera-lo, no entanto algumas sequências, em especial a ultima meia hora, são um portento técnico (com explosões reais de fabricas e armazéns) e de ritmo. mas onde Das Testament des Dr. Mabuse brilha é no trabalho de camera de Fritz Lang e na edição. É um filme extremamente criativo na arte das transições com alguns cortes que para altura, apenas 10 anos após o seminal Couraçado Potemkin, mostra que as lições dadas por Eisenstein tinham sido bem seguidas por Lang.

Podem-no ver ali no link abaixo se não tiverem paciência para procurar com boa qualidade. Vou tentar, no futuro, ver a já mencionada prequela, mas também a sequela Die 1000 Augen des Dr. Mabuse que Fritz Lang viria a realizar já no final da sua vida nos anos 60. Bom inicio de Maratona, amanhã ou assim cá estarei para vos falar de The Blob com um Steve McQueen a fazer de adolescente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: