Under the Shadow [2016]

Penso que estreou por cá durante o ultimo Motelx, infelizmente passou-me ao lado quando lá fui no ano passado.

Under the Shadow recorda o período após a Revolução Iraniana de 1979 que, recordo, levou à deposição do Xá Persa Reza Pahlavi pelo movimento religioso encabeçado pelo Ayatollah Khomeini. A acção de Under the Shadow decorre anos mais tarde durante o auge da guerra entre o Irão e o Iraque que se seguiu à revolução. Eu nutro uma certa simpatia pela cultura e riquíssima história Persa e tenho alguma pena que a Persia (agora Irão) tenha invertido o rumo laico que vinha a seguir antes da revolução de 1979 que foi um dos momentos mais importantes da segunda metade do século XX. Não é portanto surpresa, que cada vez mais filmes e jogos comecem a debruçar-se sobre este período como por exemplo Persepolis ou 1979 Revolution: Black Friday.

Devo dizer que gostei bastante de Under the Shadow, não esperem terror puro e duro mas algo mais psicológico, o que é óptimo porque a forma mais eficaz para um filme de terror assustar hoje em dia é com o que não se vê e com o que requer a imaginação do espectador ou a dúvida se o terror é real ou não. E nesse campo Under the Shadow demonstra uma certa mestria nas suas setpieces especialmente na forma como monta todo o build up durante grande parte da sua duração.

Em termos narrativos fez-me muito lembrar o australiano The Babadook na forma como usa o terror para explorar as dificuldades e dilemas da maternidade, aqui exacerbadas pelas restrições e desafios inerentes à vida duma mulher moderna num estado religioso como o Irão. O resultado final é um filme bem montado que não tem quaisquer receios de levar o tempo que acha necessário e arrisca-se a usar um género cheio de clichés e ideias pré-concebidas para contar uma história genuína e com uma boa dose de intervenção politica que, vamos ser honestos, só foi possível porque Under the Shadow não é uma produção Iraniana. Como sabem uso sempre o titulo original nos títulos dos meus textos e Under the Shadow é mesmo o nome oficial do filme porque é na realidade uma produção britânica, de tal forma que foi o seu concorrente para a categoria de melhor filme de língua estrangeira nos últimos Oscares. E sim, o filme é falado em Farsi.

Bom filme, não só de terror, mas bom filme, ponto. É sempre muito interessante ver terror duma perspectiva cultural completamente distinta do que estamos habituados a ver. Recomendado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: