Twin Peaks: The Return [2017]

E pronto, finalmente chegamos ao fim desta maratona dedicada ao David Lynch com, tal como prometido, o regresso de Twin Peaks que 25 anos depois voltou à nossa companhia quando já ninguém esperaria.

Decidi separar este regresso da série original porque, vamos ser sinceros, são “coisas” completamente distintas, para além de que o próprio Lynch está um realizador completamente diferente hoje em dia e este Twin Peaks: The Return reflecte muito bem isso. Emprestando mais da ambiência de Inland Empire ou Mulholand Drive do que propriamente da série original, este regresso não é para as massas e isso espelha bem a enorme polarização na recepção popular. Se por um lado os fãs mais acérrimos de Lynch e de Twin Peaks adoraram esta nova… interpretação, muita gente houve também que, pelo contrário, odiou todo o pretensiosismo e a ausência da aparente simplicidade herdada das soap operas que ditavam Twin Peaks.

Coloquem-me bem dentro do primeiro grupo, adorei este temporada e o rumo sem quaisquer rédeas, Twin Peaks: The Return é uma completa loucura surrealista e ainda bem, porque é algo que faz falta ao actual panorama televisivo que, depois dum pico de enorme criatividade, cada vez mais se começa a encurralar em armadilhas e templates repetitivos onde as suas estruturas começam a se tornar cansativas e previsíveis. Lynch sabe disso e usa este regresso da mesma forma que usou a série original para abalar o status quo do panorama da TV.

Mas admito que não estava à espera desta nova cara, e admito também que comecei a ver a série com enormes expectativas na esperança dum regresso à tradicional Twin Peaks, um regresso que… nunca veio. Instalou-se uma certa frustração, no entanto, quando me apercebi que nunca iria ter esse regresso, nem era esse o sentido desta nova temporada rapidamente mudei o chip e foquei-me no que realmente isto é, novo material criativo do Lynch e só por isso já valeu a pena. E de certa forma Twin Peaks: The Return funciona quase como um resumo ou celebração de toda a carreira do Lynch já que encontramos aqui uma série de temas, ambientes, estilo e claro, muitos, muitos actores de passadas colaborações desde grande parte do elenco da série original com especial destaque para o Kyle que tem aqui um regresso fantástico, mas também alguns recém chegados a Twin Peaks como as musas de Lynch, Naomi Watts e Laura Dern que rouba quase todas as suas cenas.

E pronto, assim terminamos esta maratona que muito gozo me deu. Descobri alguns filmes e redescobri outros tantos que me fizeram vê-los com outros olhos. Espero que no futuro apareça por aí mais filmes ou TV do Lynch para aumentar aqui a lista dele.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: