Mount & Blade: Warband [2010]

Há certos jogos que são um pouco cruéis de se analisar, Mount & Blade: Warband é um deles e é por uma série de razões.

Este é um jogo virtualmente sem objectivos ou um final palpável que pede ao jogador uma mente aberta e a paciência para ele próprio construir uma jornada e uma narrativa pessoal na sua cabeça através das mecânicas que disponibiliza. É o chamado jogo sandbox cuja cabeça de cartaz será provavelmente Minecraft. Como podem imaginar é extremamente injusto julgar um jogo destes com apenas 20 horas de jogo, portanto leiam isto com um pitada de sal.

A verdade é que me apaixonei com a incrível ambição e escala do que Mount & Blade: Warband tenta fazer. A enorme e completa liberdade que dá ao jogador e a possibilidade de criar a própria história num mundo medieval relativamente realista (mesmo tendo em conta que é um mundo ficcional) é muito empolgante não só para um adepto de jogos com narrativas emergentes, mas também para quem gosta de História, como eu. Há um certo charme poder deambular e criar histórias num mundo medieval e, para mim, pessoalmente, foi o que me deu maior motivação para continuar.

No entanto, ao mesmo tempo, toda essa liberdade acaba por ser também uma das suas principais fraquezas, porque na prática, Mount & Blade: Warband sofre duma tremenda falta de foco e direcção, o que é pena e se calhar também diz muito da minha falta de criatividade, talvez. Mas também a tecnologia não consegue acompanhar toda a ambição que o jogo lhe pede, rapidamente o jogador encontra diversas limitações e repetições causadas exactamente por isso mesmo. Aldeias e cidades desertas, repetidas e com opções idênticas uma à outra, tornando-se sequer complicado ter a noção de quem é quem e onde fica o quê.

Uma palavra para o combate que é bastante bom e realista e obriga o jogador e ser calculoso, táctico e paciente, isto porque ele é tremendamente exigente. De qualquer das formas, a sequela está aí a rebentar e cheira-me que já vai ter mais margem de manobra para tentar mostrar toda a ambição que este Warband não conseguiu.

Como disse antes, é injusto sequer tentar qualificar Mount and Blade: Warband quando só descobri a ponta do icebergue, mas muito provavelmente não o irei jogar mais até sair a sequela e então aí irei mais fundo. Portanto, não darei qualquer classificação.

Positivo:
+ Total liberdade.
+ Combate.
+ Atmosfera medieval.

Negativo:
– Limitativo em termos técnicos.
– Ausência de foco e objectivos.

Tempo de Jogo: 20 Horas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: