80 Days [2014]

Sou fã do Jules Verne, li os seus principais livros em adolescente e de certa forma ajudaram a moldar muitos dos interesses que tenho hoje em dia. A Volta ao Mundo em 80 dias é porventura o seu mais conhecido, mas curiosamente não foi dos meus favoritos, de qualquer das formas não pude deixar passar este 80 Days que é uma leve adaptação do romance do francês.

Digo leve adaptação porque com o livro de Verne mantém apenas a premissa básica de atravessar o mundo em 80 dias e algumas personagens como os protagonistas Phileas Fogg e Passpartout. O resto não segue o romance de Verne… ou segue? Bom, é aqui que entra o grande ponto de interesse de 80 Days e a razão porque este é um dos melhores jogos narrativos dos últimos anos.

O jogador tem a mais completa liberdade para planear as rotas que bem entender para conseguir atingir o objectivo dos 80 dias, com centenas e centenas de cidades e rotas e dezenas de diferentes transportes. Essa liberdade já seria por si só relativamente admirável de se ver, no entanto, o que realmente eleva este 80 Days é como a narrativa se adapta a qualquer decisão, rota e cidade que o jogador decida escolher, o que se traduz em dezenas e dezenas de histórias completamente distintas a cada playthrough que cada jogador terá. Vou ser muito honesto e afirmar que não há um outro jogo com este nível de adaptação.

Enquanto vos escrevo apenas realizei 3 viagens e todas elas foram experiências completamente distintas entre si. Numa delas segui um percurso mais tradicional (semelhante ao livro) onde encontrei revolucionários, seres místicos, Phileas Fogg adoeceu e teve de ficar dias a recuperar junto a indígenas na Papua Nova Guiné, atravessei mares em jangadas, conheci traficantes de guano na América do Sul e outros viajantes em Lisboa. Outra das viagens fui pelo pólo norte onde encontrei narrativas completamente distintas com diferentes personagens (como Jesse James no transcontinental americano) e por aí fora. 80 Days é um dos melhores exemplos de narrativa emergente que podem encontrar e isso é simplesmente maravilhoso, porque cada jogo é literalmente uma experiência completamente nova e fresca, quase a 100%.

Não sou muito de jogar nos telemóveis mas se calhar funciona melhor assim, aliás como foi originalmente pensado, porque foi inicialmente lançado como jogo mobile. 80 Days é um mimo que recomendo veementemente!

Positivo:
+ Liberdade narrativa.
+ Dezenas de diferentes histórias possíveis.
+ Qualidade da escrita.

Negativo:
– Aspecto visual demasiado mobile.

Tempo de Jogo: 3 horas por viagem.

Sai do templ… do PixelHunt com:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: