Star Trek II: The Wrath of Khan – A Ira de Khan [1982]

Nunca fui muito fã de Star Trek, na verdade acho que nunca vi nenhum filme  ou episódios completos, talvez tenha tropeçado nalgum por aí na TV, mas nada que tenha ficado muito marcado nem que tenha despertado o meu interesse para descobrir mais.

E como ficava mal encerrar uma tradição como a Maratona Sci-fi sem um único Star Trek ter passado por cá, decidi escolher um, e essa escolha recaiu no filme unanimemente considerado como o melhor, o 2º, The Wrath of Khan. E porque saltar o 1º, ou mesmo a série? Bom, não tenho tempo para ver tanto episódio e conheço o ditado popular de que apenas os filmes par de Star Trek são bons, os ímpares são maus.

The Wrath of Khan está suficientemente entranhado na cultura popular para saber mais ou menos o que acontece, todos conhecem o grito exasperante do Kirk a clamar pelo seu rival “Khan!” e que o Spock morre no final, mas de qualquer das formas, para um virgem em Star Trek há muita coisa que me passou ao lado e que, suponho, tem ligação com a série (em especial a backstory do Khan).

Devo dizer que fiquei agradavelmente surpreendido, The Wrath of Khan é genuinamente bom e funciona agradavelmente bem de forma isolada sem conhecimento prévio do resto do material e, vendo-o inserido na sua época (saiu exactamente entre Empire Strikes Back e Return of the Jedi) consegue ser uma alternativa mais séria, adulta e mais focada na ciência do que na fantasia, se bem que esse sempre foi uma marca de Star Trek em comparação com o seu mais juvenil rival.

O que superficialmente pode parecer como apenas uma aventura pelo espaço e uma história de vingança, The Wrath of Khan consegue ser bem mais sumarento por debaixo dessa capa. Os dilemas da passagem do tempo, os desafios da senioridade dos protagonistas e o confronto com a mortalidade dão toda uma densidade que ajudam a elevar o filme para algo mais que simples entretenimento. E depois, claro temos aqui um empolgante jogo de xadrez e um confronto estratégico e táctico entre duas mentes e duas personalidades carismáticas que estão constantemente a elevar-se um ao outro.

E tudo isto se traduz num filme cujas 2 horas passam num instante, fruto também dum argumento com um excelente ritmo e que raramente se perde em narrativas paralelas. Honestamente gostei muito do que vi, o ponto menos positivo seja talvez o design visual ultrapassado que não envelheceu lá muito bem (aquelas roupas e penteados) mas, compreendo que tenha que seguir o look introduzido pela série, quase duas décadas antes.

Despertou-me o interesse para o resto dos filmes? Sim e não. Por um lado foi bom o suficiente para querer ver mais aventuras da tripulação, mas por outro sei que vai ser downhill daqui a diante e vão ressuscitar o Spock, o que é horrível e estraga o excelente final.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: