Suspiria [2018]

Mesmo não sendo o meu filme favorito do Argento (esse titulo vai para Profondo Rosso) sou fã de Suspiria, embora tende a sair do saco dos giallo clássicos para algo um pouquinho diferente, acaba por ser, goste-se ou não, a cabeça de cartaz do terror italiano.

As noticias que circulavam dum remake, já há uns anos, fizeram-me, como seria de esperar, torcer o nariz, mas com o passar do tempo e a entrada de talento real no projecto, como o realizador Luca Guadagnino, a actriz Tilda Swinton ou a musica do Thom Yorke fizeram subir em flecha o meu interesse. E o excelente trailer foi a cereja no topo do bolo.

Desde logo agradou-me a decisão acertadíssima, de tornar esta versão quase que num oposto do original em quase todos os aspectos, desde o ritmo pausado, o jogo de cores esbatido e acastanhado, a reserva e subtileza, o foco nas personagens e na actual dança que tem aqui um papel importante. O resultado é um filme que se pode orgulhar de se manter em pé por si próprio longe da sombra do original, contando a mesma história, mas duma forma distinta. E isso acaba por obrigar as pessoas que conhecem o original a manter a atenção para decifrar o que o filme quer contar. É isto o que um remake deve aspirar a fazer e Suspiria consegue.

Eu não sou conhecedor do trabalho do Luca Guadagnino, aliás, nunca vi nenhum filme dele, mas ele não me parece confortável a montar as cenas de tensão e terror, aquela antecipação que precede o real horror, e ele teve óptimas oportunidades para brilhar nesse aspecto, especialmente nas cenas em que a Sara explora sozinha os corredores da academia. A coisa não funciona tão bem quanto podia e devia. A meu ver, nas mãos dum realizador mais experiente no género o resultado iria ser muito melhor. Felizmente noutros aspectos nota-se que o Luca está muito mais confortável e nails it.

O melhor: Propositadamente muito diferente do original, em quase todos os aspectos e quase tocando em opostos. Os vários elementos, isolados, são óptimos, como a fotografia, realização, actuações e atmosfera e são testemunho do muito talento que por aqui transborda.

O Pior: No entanto, quando todos os elementos se juntam nem sempre encaixam e nota-se que o filme tem dificuldades em manter uma coesão que, caso contrário, elevaria o filme para outros voos. O final fez-me torcer o nariz e é a meu ver a pior parte do filme. Toda a palha narrativa que é demasiado pronunciada para ser mero background, mas igualmente demasiado indistinta para ser tão interessante e relevante como o filme quer passar.

Melhor cena: A morte da Olga. Uau! Não estava à espera, é original, criativa e aterrorizante.

Veredicto: Gostei, mas ficou abaixo das minhas elevadas expectativas. Luca Guadagnino foi muito inteligente em criar uma versão quase oposta da do Argento o que lhe dá uma frescura e solidez para se sustentar sozinho sem a ajuda do clássico.

Comments
One Response to “Suspiria [2018]”
  1. Search Engine Optimization is basically optimizing web page to rank highly in search engines.
    This way they often be happy keep on your list as well as probably continue buying
    from you. http://hdshop66.com/comment/html/?164450.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: