Top 5 filmes 2018

Mais um ano, mais um balanço e mais um top. Este ano, ao contrário de 2017, foi bem mais prolífico em cinema de qualidade, pelo menos que tenha visto. Este ano foi bastante fácil escolher 5 filmes fora de série, até havia mais e ouve outros filmes que muito gostei e ficaram de fora como The Killing of a Sacred Deer, Suspiria, You Were Never Really Here ou A Quite Place. E claro não cheguei a ver muita coisa que gostaria de ver como Roma ou Shoplifters.

Como sempre, estes não são os melhores, são os meus favoritos do pouco que vi, infelizmente o tempo é pouco para explorar tudo o que tenho interesse ver. Podem ver, se quiserem, as minhas listas de 2009, 2010, 20112012201320142015, 2016. e 2017.

5 – Gok-seong – Hong-jin Na

Nem sabia que tinha estreado por cá este ano, se bem se lembram passou por cá na maratona terror de 2017, portanto já o vi há bastante tempo. Quando o vi durante a minha pesquisa de estreias de 2018 senti um calorzinho cá dentro (não que seja um desses filmes, bem pelo contrário) ao relembrá-lo, e esse é sempre um bom sinal de que gostei do que vi.

Originalmente de 2016, estreou em Portugal em 2018.


4 – Annihilation – Alex Garland

Foi porventura o filme que mais cresceu em mim com o passar dos meses. Sim, gostei muito quando o vi originalmente, mas com o passar do tempo notei que algumas das suas virtudes e particularidades e muitas das suas cenas continuaram entranhadas na minha cabeça.


3 – Mandy – Panos Cosmatos

Tive na dúvida entre este e Annihilation para fechar o pódio, mas no final das contas foi Mandy que mais me ficou gravado na memória e que, a meu ver, melhor vai envelhecer. É verdade que perde alguns pontos por ser uma experiência quase só visual, mas que experiência hein?


2 – First Reformed – Paul Schrader

A ultima entrada destes 5 escolhido, vi-o há pouco tempo e se calhar está injustamente sobrevalorizado por estar mais fresco na minha memória, mas a verdade é que foi das melhores experiências do ano, mas essencialmente o melhor guião e argumento desta lista.

Originalmente de 2017, estreou em Portugal em 2018.


1 – Hereditary – Ari Aster

O único destes filmes que vi mais que uma vez e é fácil compreender porquê. Extremamente bem realizado e interpretado, mas acima de tudo dono dum incrível ambiente, abrilhantado com a melhor cena dos ultimas anos que encapsula na perfeição o que deve ser bom terror, não o barato dos sustos, mas o real horror do vazio existencial que suga a alma a qualquer um.

E assim, Hereditary sucede assim ao meu mui estimado Silence como filme do ano aqui no PixelHunt.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: