Shadow of the Tomb Raider [2018]

Como já sabem sou um enorme apreciador de Tomb Raider, mas um crítico dos recentes reboots que, infelizmente, têm demasiados problemas fundamentais para poderem ser considerados como bons Tomb Raider. O reboot de 2013 mostrou bastante potencial, mesmo com muitos problemas na sua estrutura, que davam a entender um futuro centrado precisamente neles. Rise of the Tomb Raider, como esperado, mergulhou de cabeça nesses problemas retirando qualquer esperança de que todo o potencial mostrado no primeiro jogo se concretizasse.

Dito isto, fiquei agradavelmente surpreendido com este terceiro jogo, direi mesmo que é o melhor jogo desde o reboot. Muitos dos problemas foram revistos e apostaram nos pontos fortes desta nova série, gostei muito de como a exploração e as plataformas são agora a base e o combate está quase ausente da experiência.

Maravilhosos visuais, como é apanágio dos jogos pós-reboot, excelente voice acting e um lore e narrativas secundárias bastante interessantes, no entanto, a história principal continua a ser demasiado fraquinha, cheia de cliché e extremamente genérica.

Posso dizer que gostei, acho que a Eidos Montreal entende melhor a série que a Crystal Dynamics que, sejamos honestos, andava a transformar isto num Uncharted. Gostava de ver um jogo inteiramente pensado, planeado e executado por eles.

O melhor: O balanço entre exploração, plataforma e puzzles. O combate está muito mais reduzido e em segundo plano, como um bom Tomb Raider deveria sempre ser. Excelentes visuais e o fantástico photo mode, perfeito para um turista virtual como eu.

O Pior: Acho que é mesmo a história central que mais uma vez roda em volta da organização mercenária Trinity aqui encabeçada por um gajo genérico que em nada eleva a narrativa. É algo comum a todos os Tomb Raider da nova geração, há muito potencial para contar uma boa história, mas nunca aproveitam. As narrativas secundárias, no entanto, são bem mais interessantes.

Melhor momento: As tombs opcionais são, de longe, os melhores momentos do jogo e em muito melhoradas em relação aos anterires jogos. Os momentos em que as conseguimos ultrapassar são muito gratificantes.

Veredicto: Continua a ter problemas inerentes aos alicerces que a Crystal Dynamics construiu em 2013, mas este é o melhor Tomb Raider desde o reboot e o que melhor consegue captar o espirito do que é e deve ser um Tomb Raider.

 

Tempo de Jogo: 30 horas.

Sai do templ… do PixelHunt com:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: