Black Mesa [2020]

O melhor: É um remake do melhor jogo de todos os tempos, portanto, como seria de esperar, o que Half-Life tinha de bom traduz-se aqui na perfeição, nem tudo, mas quase tudo. Falando exclusivamente do remake e colocando o original de parte (já falei, e muito dele na minha retrospectiva), a forma como expande no … Continuar a ler

Maratona La Nouvelle Vague

Se bem se recordam a Maratona Sci-Fi teve a ultima edição em 2018 e na altura prometi que iria abrir esse espaço para outro tipo de maratonas, como por exemplo focadas em realizadores, como já o fiz anteriormente com o Kubrick, Tarkovski e Lynch. Claro que caguei nisso e não fiz nada no ano passado … Continuar a ler

Jojo Rabbit [2019]

O melhor: A ensemble de bons actores, mesmo que alguns deles tenham papeis quase inexistentes 😀 A edição rápida e criativa a fazer lembrar, e muito, os filmes do Edgar Wright. O Pior: Acho que o filme queria causar mais impacto emocional do que realmente consegue. Achei a parte mais dramática do 3º acto muito … Continuar a ler

The Call of Cthulhu – O Despertar de Cthulhu de H. P. Lovecraft

Sempre fui muito adepto do vulgarmente denominado horror cósmico que o H.P. Lovecraft foi um dos principais criadores e uma das, senão a principal influência em todo o sub-género. Mas a verdade é que curiosamente pouca coisa li dele, acho que só mesmo o At the Mountains of Madness que se bem me lembro gostei, … Continuar a ler

El Hoyo – A Plataforma [2020]

O melhor: O conceito é muito interessante e perturbador. A fotografia e trabalho de câmera é bastante bom tendo em conta os reduzidos espaços e a constante repetição de cenários. O Pior: O mal destes filmes que se debruçam exclusivamente num conceito assim tão abstracto é que não há muito por onde pegar passando esse … Continuar a ler

Gretel & Hansel [2020]

O melhor: Sem dúvida a excelente e lindíssima fotografia com os jogos de cores, luzes e sombras. A banda sonora que me fez muito lembrar a de Mandy. A bruxa está muito bem conseguida em termos visuais, é muito creepy. O Pior: A parte inicial ainda promete, mas depois de chegarem à casa da bruxa … Continuar a ler

7. Kogustaki Mucize – Milagre na Cela 7 [2019]

O melhor: Gosto sempre de ver filmes que mostrem outras culturas e tempos que não seja o mundo ocidental, e a Turquia pós golpe militar de 1980 foi certamente um local e um tempo bastante interessante de se conhecer. A menina é fofinha. O Pior: Vinha com fama de ser um filme de fazer chorar … Continuar a ler

The Great Train Robbery – O grande assalto ao comboio [1903]

Há tempos recebi aquele livro dos 1001 Filmes para ver antes de morrer, que certamente já o viram por aí numa qualquer estante duma qualquer livraria. O que mais me chocou nem foi o elevado número de filmes na lista (e já vai em mais que 1001) mas o número de filmes que nunca vi! … Continuar a ler

Torment: Tides of Numenera [2017]

O melhor: O universo e lore são muito interessantes e originais, não é frequente vermos um setting num futuro tão longínquo, após a ascensão e queda de tantas civilizações que as coisas se tornam irreconhecíveis e quase mágicas. A qualidade da escrita e a história centrada no papel das memórias e individualismo é muito acima … Continuar a ler

Chrzest ognia – Batismo de Fogo de Andrzej Sapkowki

Todos os livros da saga The Witcher já por aí andam traduzidos em português (que segundo dizem são bastante boas) portanto aproveitei para as ler a partir de onde eu tinha ficado anteriormente (li em livro físico até ao Time of Contempt e todos em formato digital, tudo em inglês). Este Batismo de Fogo é … Continuar a ler

Dead Island [2011]

O melhor: O combate corpo a corpo é muito visceral e gratificante, assim como o número de armas e as formas como se podem fazem upgrade. A chamada “árvore tecnológica” ou seja as skills que se desbloqueiam com experiência são genuinamente impactantes na jogabilidade e obrigam o jogador a evoluir a mudar e adaptar o … Continuar a ler

Waterloo [1970]

O melhor: Steiger e Plummer como Napoleão e Wellington respectivamente, especialmente Steiger que no meio de tanto overacting consegue transmitir uma personagem que deambula corajosa e graciosamente por espectros opostos de sentimentos e comportamentos. Gostei muito das partes em que ouvimos os seus pensamentos, as únicas alturas em que ambos são reais e sinceros consigo … Continuar a ler