Låt den rätte komma in – Deixa-me Entrar [2008]

E consegui acabar a maratona precisamente no Halloween, nem eu esperava isso de início. E encerrei com um dos meus filmes favoritos dos ultimos anos, Deixa-me Entrar.

Deixa-me Entrar chegou numa altura perfeita, estávamos (e ainda estamos um pouco) no auge da nova moda dos vampiros por causa do Twilight, e já todos andavam um pouco saturados. Deixa-me Entrar pegou na mitologia e deu uma lufada de ar fresco no género. Muita gente enjoada de Twilight acabou por ignora-lo com receio de ver mais do mesmo, mas quem arriscou teve a oportunidade de ver um dos melhores filmes de terror dos últimos anos.

Foi o meu filme favorito do ano passado (cá estreou tarde) por isso pouco mais posso fazer do que elogia-lo. Adoro todos os aspectos do filme, os miúdos são espectaculares, o ambiente é muito bom e a história é inteligente. Eu gosto de como o filme consegue ter duas caras completamente distintas e opostas. Consegue ser um filme  agridoce sobre um amor entre duas crianças diferentes ou como uma perturbadora história de manipulação. À primeira vista é difícil o espectador não ficar derretido pelos dois miúdos, como eles se conhecem e como enfrentam juntos os problemas dele (bullying) e os dela (ela é… um vampiro). Mas prestando atenção e reflectindo sobre as coisas, apercebemos que a Eli como vampira com centenas de anos que é, é na realidade extremamente manipuladora (nem temos a certeza do seu género, no livro ela é originalmente, antes da transformação, um rapaz) que basicamente usa o Oskar para o seu próprio interesse, sendo que irá arruinar completamente a vida do pobre miúdo.

Visto pelo segundo prisma Deixa-me Entrar é um filme bem deprimente. Mas o filme domina também as cenas perturbadoras mais tradicionais, ou seja os momentos de tensão, as imagens mais gráficas e os sustos básicos. Mas como um todo este é um filme que aposta muito na subtileza e pede ao espectador que acompanhe o filme sempre de forma atenta e crítica. Como já disse os dois jovens actores estão FABULOSOS e muito do impacto emocional é feito apenas através do olhar e de subtis expressões e gestos, como é que actores tão novos o conseguem fazer de forma tão boa merece uma salva de palmas.

Estreou há poucos dias a cópia americana, como vou boicotar aquilo não posso falar muito, mas tem sido bem recebido, provavelmente valerá a pena. Mas tentem ver primeiro o original, tentem dar primazia a quem teve o trabalho e a criatividade, os ports ficam para depois.

Pois bem, foi um mês espectacular em termos cinematográficos, descobri filmes absolutamente fantásticos e tive boas surpresas. Ainda há muitos mais filmes de terror que quero descobrir, mas fica para depois, preciso de desenjoar um pouco.

Originalmente de 2008, estreou em Portugal em 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: