• Maratona Terror 2020

  • Maratona La Nouvelle Vague

The Witcher – 2ª Temporada [2021]

O melhor: Se o Cavill e a Chalotra tinham sido os alicerces da 1ª temporada, acho que a Freya Allan é o ponto forte desta temporada, é uma boa Ciri e acho que tem muito potencial para crescer. Nota-se que os valores de produção são aqui muito maiores que na 1ª temporada, o CGI é … Continuar a ler

Spider-Man: No Way Home – Sem Volta a Casa [2021]

O melhor: A aposta da Disney/Marvel/Whatever em relação “àquilo que vocês sabem” foi uma tremenda vitória. Mesmo eu, que sou das coisas mais céticas, desinteressadas e “velho do restelo” em relação às “Marvelsisses” tive de tirar o chapéu à ideia e ao quão bem resultou. Chef kiss. O Pior: Pois, a verdade é que tirando … Continuar a ler

Dune – Duna [2021]

O melhor: A belíssima e fantástica fotografia de Greg Fraser, é de cortar a respiração. A cuidada realização do Denis Villeneuve que sabe dar tempo às cenas e aos seus atores para respirar, que sabe dar espaço aos visuais e ao ambiente para contarem as suas próprias histórias, que entende o papel da exposição indireta … Continuar a ler

No Time to Die – 007: Sem Tempo Para Morrer

O melhor: A tradicional introdução antes da musica é espetacular e deu-me muitas esperanças para o resto do filme. Daniel Craig está melhor que em SPECTRE e não dá tanto a entender que está ali só para receber o cheque, o que já é bom. O Pior: O Daniel e a Léa não têm química, o … Continuar a ler

Resident Evil VIII – Village [2021]

O melhor: Os visuais profundamente inspirados pelo gótico clássico dos filmes de terror dos anos 30, chegando mesmo, em alturas, a entrar por territórios quase monocromáticos a fazer lembrar aquelas maravilhosas atmosferas a preto e branco cheias de contrastes e carregadas de nevoeiro que tanto gosto ❤ Uma completa antítese do ambiente e look do … Continuar a ler

The Dark Pictures Anthology – House of Ashes [2021]

O melhor: A premissa central de ruinas milenares antigas Sumérias há muito perdidas e abandonadas no subsolo é fantástica. É uma cultura fascinante e geralmente pouco representada. O Pior: A história centrada em militares americanos extremamente desinteressantes e estereotipados que infelizmente não consegue aproveitar a fascinante premissa. Melhor momento: Acho que é mesmo a introdução nos … Continuar a ler

Automobilista 2 [2020]

O melhor: Há aqui muitas categorias diferentes, o que é bom, mas as melhores são de longe as centradas nos Formula 1 históricos, especialmente os de 1974. Em cada era encontramos alguns F1 reais, no entanto para completar as grelhas temos que nos contentar com carros inventados que se assemelham aos reais, o que é … Continuar a ler

Age of Empires: Definitive Edition [2018]

O melhor: Os novos visuais conseguem ser ao mesmo tempo uma melhoria digna para os dias de hoje e extremamente fieis aos originais. E isso é retrato do jogo em si, é extremamente fiel ao original mas também uma bom salto em termos técnicos. Não é um balanço fácil, mas é isto que um bom … Continuar a ler

Demian de Hermann Hesse

Mais uma leitura terminada no meu objetivo de ler um livro por mês durante 2021, algo que começo a ter duvidas se vou conseguir atingir, embora ainda esteja dentro da média já que este foi o 4º livro. 😀 Este Demian foi-mo recomendado pela minha namorada e embora seja possivelmente a obra mais famosa do … Continuar a ler

At Dead of Night [2021]

O melhor: As mecânicas são impressionantes, tendo em conta que não são mais que uma série de sequências em vídeo. Até começarmos a compreender como a coisa funciona em termos técnicos e mecânicos, a experiencia de estarmos a ser perseguidos por um louco em corredores labirínticos é extremamente eficaz. O Pior: Depois dumas horas, as … Continuar a ler

Hotline Miami 2: Wrong Number [2015]

O melhor: A banda sonora é SUBLIME! A história surreal e a atmosfera psicadélica dão a toda a experiencia uma fortíssima e original personalidade. O ritmo frenético pode não ser aconselhado a “velhotes” como eu, que já não tem os reflexos de antigamente, mas quando entramos in the zone a experiencia é muito, muito gratificante.  … Continuar a ler

Acabei de jogar… num paragrafo – Quatrième partie

Quarta parte das minhas mini-reviews de jogos antigos e/ou curtos, na minha vã ânsia de limpar o infindável backlog da minha conta do Steam. Tudo jogos que fui jogando e acabando ao longo dos últimos meses e que não tenho conteúdo ou vontade suficiente para escrever uma review isolada.     DEFCON [2006] Um pequeno e muito interessante jogo de … Continuar a ler

Assassin’s Creed: Syndicate [2015]

O melhor: A cidade de Londres na época vitoriana é belíssima e perfeita para fazer e disfrutar de um pouco de turismo virtual (podem ver aqui o meu álbum de viagens) mesmo que perca em comparação à Paris revolucionária do Assassin’s Creed Unity, que era só e apenas uma das cidades mais vivas e vibrantes … Continuar a ler

Le Petit Prince – O Principezinho de Antoine de Saint-Exupéry

  O Principezinho é normalmente mencionado como um livro obrigatório de ser lido uma primeira vez durante a infância e uma segunda vez em idade adulta, infelizmente a primeira parte já não vou a tempo de o fazer, mas finalmente li-o como adulto. É fácil de entender porque dizem isso, isto porque O Principezinho é … Continuar a ler

Låt den rätte komma in – Deixa-me Entrar de John Ajvide Lindqvist

Já aqui falei do filme, que muito gosto (o original Sueco, não o remake americano), mas nunca tinha lido o livro. A minha namorada desafiou-me a lê-lo e aqui estou eu a dar o meu testemunho. Devo dizer que gostei e em muitos aspetos consegue ser superior ao filme, mas o mais importante a mencionar … Continuar a ler

Little Nightmares [2017]

O melhor: A exemplar direção artística e visual, e o desconfortável ambiente negro e surreal, de longe o melhor aspeto de toda a experiência. As sequências stealth são bem executadas assim como as que nos vemos obrigados e fugir de ameaças em perseguições de cortar a respiração. O Pior: A história é e tal forma … Continuar a ler

Grid 2 [2013]

O melhor: Os visuais são bastante impressionantes para 2013. A instantaneidade e espetacularidade das corridas, em poucos minutos sentir-se-ão como que no meio dum filme de ação a ganhar corridas. O Pior: Não há muito por onde pegar para além dessa capa superficial. Como a condução é extremamente simples e acessível rapidamente perdi o interesse … Continuar a ler

Wò hu cáng lóng – O Tigre e o Dragão [2000]

O melhor: A bela fotografia e mise-en-scène que baila na perfeição com toda a sensibilidade poética que Ang Lee tão bem sabe utilizar, isto num género (wuxia) que normalmente não associamos com isso. A relação de amor contido e reprimido entre as personagem interpretadas por Michelle Yeoh e Chow Yun-Fat é lindíssima, trágica e agridoce. … Continuar a ler

Pani Jeziora – A Senhora do Lago de Andrzej Sapkowski

Terminei finalmente a minha leitura da versão portuguesa de toda a saga The Wicher com o derradeiro volume, A Senhora do Lago. Sim, sei que há um novo livro lançado em 2013, mas não é a mesma coisa. Este é o maior de todos os livros (de tal forma que a editora portuguesa decidiu, por … Continuar a ler

Still Life [2005]

Há algumas semanas falei sobre Syberia e como teve um forte impacto em mim e nos meus gostos “videojogáveis” durante a minha adolescência, e hoje trago-vos o seu… “irmão espiritual” que durante o mesmo período teve um impacto igualmente considerável em mim. Falo de Still Life, também produzido pela Micröids, aliás, parte da equipa de … Continuar a ler

Cidade de Deus [2002]

O melhor: É complicado não dizer: tudo. Mas por entre todos os seus pontos fortes, como o argumento ou o realismo, acho que é a fantástica edição que mais se destaca. Não há uma cena filmada ou cortada de forma convencional, todos os momentos são criativos e fora do normal o suficiente para que, mesmo … Continuar a ler

Annie Hall [1977]

O melhor: Um argumento muito bem escrito, rebelde e criativo que, sem medos, quebra todas as regras bem ao estilo do cinema de Jean-Luc Godard. Aliás, para mim, que me embebedei com cinema da Nova Vaga Francesa no ano passado, toda a experiencia de Annie Hall foi uma autêntica coleção de “apanha a referência” bem … Continuar a ler

The Usual Suspects – Os Suspeitos do Custume [1995]

O melhor: Embora já conhecesse o twist, ele é realmente bem montado e quando surge continua a causar impacto, no entanto, e é algo que falarei a seguir, fica a duvida no ar se é um twist merecido. O Pior: Lembro-me que quando vi o Haute Tension fiquei bastante revoltado pela forma como o seu … Continuar a ler

art of rally [2020]

O melhor: A incrível banda sonora cheia de sintetizadores e o fantástico estilo visual que faz jus ao seu nome. art of rally (o nome correto é mesmo assim, tudo em minúsculas) é uma carta de de amor não só ao rally, mas essencialmente à sua história, tudo sem quaisquer licenças, marcas, circuitos reais ou … Continuar a ler

Total War: Attila [2015]

O melhor: Toda a vertente de sobrevivência, que nunca foi tão bem explorada e executada nos outros Total War, pelo menos não desta forma, tão central. Jogando com Roma ou com qualquer outro reino “bárbaro” é mais um exercício de sobreviver contra probabilidades reduzidas do que propriamente um aborrecido exercício de conquista como é apanágio … Continuar a ler